22.12.11

biscoitinhos de queijo gouda e herbes de provence


Havia comprado queijo para compor uma sopa que queria comer há tempos. A temperatura por aqui subiu (e muito), a vontade da sopa foi embora e sobrou o queijo... Bora procurar alguma coisinha gostosa e fácil para aproveitá-lo. Como estes biscoitinhos, que foram uma grata surpresa: ridiculamente fáceis de preparar e super saborosos. Acho que vai bem com qualquer queijo - da próxima vez usarei gruyère, deve ficar ainda melhor! A receita adaptei daqui.
Encerro por aqui as postagens do ano. Bom Natal a todos e até 2012!

2 xícaras queijo gouda, passado no ralo grosso (aperte bem na xícara para medir)
1 xícara farinha de trigo
2 colheres (sopa) manteiga
sal e pimenta-do-reino, moída na hora
½ colher (chá) herbes de provence
4 colheres (sopa) iogurte desnatado

No processador coloque o queijo ralado, farinha, mateiga cortada em pedacinhos, sal, pimenta e herbes de provece. Processe até formar uma farofinha. Aos poucos adicione o iogurte, até formar uma massa úmida (não ficará homogênea). Coloque sobre uma superfície enfarinhada e amasse para homogeneizar. Abra com um rolo, no formato de um quadrado e corte em pequenos retângulos (se preferir faça bolinhas e achate bem com um garfo). Coloque numa assadeira forrada com papel manteiga e salpique um pouco de pimenta-do-reino moída. Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC por15min, ou até dourar. Deixe esfriar.
Fiz meia receita e obtive uns 25 biscoitinhos.

20.12.11

pudim de chocolate com peras


Estava meio desesperada para comer algo com chocolate, me via atacando o saco de gotinhas de chocolate meio-amargo sem pudor. Aí, fuçando numa caderneta de anotações, achei a receita desse pudim que copiei enquanto assistia um programa reprise da Nigella. Coloquei peras na lista de compras da feira e só encontrei daquela pequetita, chamada de pera-portuguesa, sempre cismei que essa variedade era muito seca, e me enganei: nem seca e nem dura, muito pelo contrário! Foi uma grata surpresa provar essa pera, além disso, o pudim ficou bem gostoso, ideal para comer morninho.
Na receita é pedido peras em calda, coloquei a fruta in natura, mesmo. Ao colocar a massa no refrátario, achei que era muito pouca, depois a massa se espalhou, cresceu e foi suficiente.

125g açúcar
125g farinha de trigo
150g manteiga, temperatura ambiente
25g cacau em pó, sem adição de açúcar
2 ovos, grandes
2 colheres (chá) baunilha
1 colher (chá) fermento em pó
¼ colher (chá) bicarbonato de sódio
4 peras

Coloque o açúcar, farinha, manteiga, cacau, ovos, baunilha, fermento e bicarbonato no processador, até formar uma massa homogênea. Descasque as peras, corte em quatro pedaços e disponha sobre um refratário (não é necessário untar). Coloque a massa sobre o refratário de 22cm e espalhe levemente - massa é um pouco pesada, não se preocupe pois no forno a massa vai se acomodar bem. Leve ao forno pré-aqueciso a 180ºC por 20-25min. Retire e espere amornar antes de servir.
Fiz meia receita, coloquei em dois potes individuais e diminui o tempo de forno para 18min, a fim de não deixar a massa muito seca.

15.12.11

scone de pecãs


Quando comecei a transcrever a receita para o post de hoje percebi que é o post número 200. Pensei, que lerdeza a minha! Dois anos e cinco meses de blog para chegar ao ducentésimo post. Bom, depois até achei que a receita veio a calhar, porque une duas coisas que só conheci depois que comecei o blog: scone -  esse bolinho com jeito de pão, que parece biscoito, macio e delicioso para o café da manhã - e pecãs, que eu não ia com a cara até provar pela primeira vez e virou minha nut preferida.
A receita vi semana passada nesse blog. Dobrei as medidas para ter scones por mais alguns dias, e acabou durando quase a semana inteira e se conservaram muito macios.

1 ½ xícara farinha de trigo
1 colher (chá) fermento em pó
pitada de sal
1/3 xícara açúcar
6 ½ colheres (sopa) manteiga, gelada
½ xícara pecãs
½ xícara creme de leite

Pré-aqueça o forno a 200ºC. Derreta ½ colher de sopa de manteiga numa frigideira e coloque as pecãs. Deixe tostar lentamente, até soltar os aromas. Retire do fogo e deixe esfriar. Numa tigela misture a farinha, fermento, sal e açúcar. Adicione a manteiga cortada em cubinhos e misture até formar uma farofa. Em seguida coloque o creme de leite e misture ligeiramente, por fim coloque as pecãs. deite a massa sobre uma superfície enfarinhada e amasse algumas vezes até homogeneizar. Forme um quadrado com a massa, corte em 4 pedaços, se quiser salpique um pouco de açúcar por cima de cada um e coloque-os sobre uma assadeira forrada com papel manteiga e leve ao forno por 15min. Passado o tempo de forno, meus scones estavam assados e ainda branquelos, então liguei o grill por alguns minutos só para dourar. Deixe esfriar e guarde em pote hermético.
rende 4 scones.

13.12.11

crumble de ameixa


Vi um crumble de ameixa no Rapa Tachos e fiquei com muita vontade de provar. Comprei ameixas, mas elas estavam tão doces que não tive coragem de usá-las na receita. Mesmo assim o crumble não me saía da cabeça, até que me deparei com a receita da Martha Stewart (cada vez gosto mais deste livro) - não tive dúvidas, comprei ameixas extras e foi uma sábia decisão!
Vou colocar a receita original, que rende 10 porções - aqui em casa é inviável fazer a receita inteira. Usei 3 ameixas distribuídas em 2 potinhos, estava sem paciência para fracionar todas as medidas e foi a olho, coloquei menos açúcar e manteiga e foi um dos melhores crumbles que já provei.

1 xícara manteiga, gelada e cortada em pedacinhos
2 ¼ xícaras farinha de trigo
¾ xícara açúcar mascavo, comprimido na xícara
1/3 xícara + ½ xícara açúcar refinado
½ colher (chá) canela em pó
¼ colher (chá) sal
½ xícara aveia em flocos
1,2 kg ameixas, sem caroço e picadas
suco de ½ limão
2 colheres (sopa) amido de milho
¼ colher (chá) cardamomo em pó

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Unte um refratário com capacidade para 3 litros, coloque-o sobre uma assadeira e reserve. Numa tigela misture a farinha, açúcar mascavo, 1/3 xícara do açúcar refinado, canela e sal. Adicione a manteiga e mexa com as pontas dos dedos até formar uma farofa úmida, misture a aveia e reserve. No refratário, coloque as ameixas, salpique por cima ½ xícara do açúcar, suco do limão, amido e cardamomo, mexa ligeiramente para misturar tudo. Coloque por cima a farofinha, salpique um pouco mais de aveia e leve ao forno por 50min, ou até que fique dourado e as ameixas borbulhando. Sirva com sorvete de creme, chantilly ou sem nenhum acompanhamento (é assim que eu prefiro).

8.12.11

pão de canela com passas


Eu gosto de fazer pães caseiros, mas nem tanto assim. Sempre me vejo dando alguma desculpa para adiar a produção de pães: hoje o tempo está frio e úmido, a massa não vai crescer direito; eu pintei as unhas ontem, nem gosto de usar luvas e vai estragar o esmalte e o pão; tenho esse corte no dedo picando cebola, não é muito higiênico sovar pão assim... e por aí vai. Mas aí eu venço todas as desculpas preguiça e sinto aquele cheirinho maravilhoso de pão recém assado e prometo que vou fazer pães todas as semanas... algo que nunca acontece, é claro.
Nesta receita, assim que vi logo me lembrei do similar Nutrella que comprei algumas vezes e parei de consumir porque tinha uma textura terrível, muito borrachudo. Já esta versão caseira resulta num pão bem denso e delicioso. Por fim, uma dica: aqueça uma fatia no microondas por alguns segundos, esse recheio vai derreter e... nham!
Receita do livrinho da Martha.

7g fermento biológico seco
2 xícaras leite morno (cerca de 38ºC)
6 ½ xícaras farinha de trigo
100g manteiga, temperatura ambiente
½ xícara açúcar
2 ovos grandes
2 colheres (chá) sal
1 xícara uva-passas
1 colher (sopa) canela em pó
recheio:
1 xícara açúcar
2 colheres (sopa) canela em pó
1 ovo, para pincelar

Misture o fermento e o leite. Adicione o leite, manteiga cortada em cubinhos, ovos, açúcar e sal. Coloque a farinha aos poucos, e vá sovando a massa (eu não usei toda a farinha, a massa ficou pesada e parei de adicionar). Sove por uns 10 minutos. Adicione a canela e as passas e sove para incorporar à massa. Coloque numa tigela untada com óleo, e deixe num lugar morno por 1 hora. Passado o tempo, abra a massa com as mãos, formando um retângulo, levante um terço da massa e dobre para o centro, faça o mesmo com o outro terço (como se fosse uma carta). Recoloque a massa na tigela, com a parte dobrada para baixo e deixe no lugar morno por mais 40min. Faça o recheio, misturando o açúcar e canela. Divida a massa em duas partes. Abra uma metade da massa formando um círculo, espalhe metade do recheio por cima, dobre para dentro as extremidades do círculo, formando um quadrado e enrole a massa, apertando bem. Coloque a massa numa forma de bolo inglês (25x10cm) bem untada com manteiga, e deixe por mais 30min no lugar morno. Repita o procedimento com a outra metade da massa. Enquanto os pães crescem, aqueça o forno a 200ºC. Pincele o topo da massa com o ovo batido (usei somente gema). Asse por 40-45min. Se o topo dourar muito rápido, na metade do tempo cubra com uma folha de papel alumínio.
rendimento: 2 pães médios, fiz meia receita.

6.12.11

(mais um) muffin de mirtilos


Tem sido muito raro comer doces industrializados, quando como acho absurdamente açucarado e nem levo adiante. Acho que meu paladar se acostumou com os doces que eu mesma preparo. E me surpreendo quando acho que alguma receita que preparei não ficou adoçada suficientemente, como estes muffins. Logo que saiu do forno eu provei um e pensei, será que errei na medida do açúcar? Na hora pensei em não postar a receita e fiquei decepcionada, depois me conformei e concluí que geléia resolve tudo. No dia seguinte comi mais um no café da manhã e achei que estava doce na medida certa.
Só um adendo, evitem os mirtilos congelados da Qualitá, aquela marca do Grupo Pão de Açúcar. Sabe aquela história do barato que sai caro? Pois é.
Receita encontrei aqui.

1/3 xícara açúcar
1 ½ colher (chá) raspas de limão
2 xícaras mirtilos frescos (usei congelado)
1 1/8 xícara açúcar
2 ½ xícaras farinha de trigo
2 ½ colheres (chá) fermento em pó
¼ colher (chá) sal
2 ovos grandes, temperatura ambiente
4 colheres (sopa) manteiga, derretida e fria
¼ xícara óleo
1 xícara leite 
1 ½ colher (chá) baunilha

Comece misturando 1/3 xícara de açúcar com as raspas de limão. Esfregue com as pontas dos dedos para soltar os aromas. Numa panelinha coloque 1 xícara de mirtilos com 1 colher (chá) açúcar e leve ao fogo médio até formar uma geléia, mexa constantemente (demora uns 6-7min), retire do fogo e deixe esfriar (depois de retirar do fogo amassei com um garfo). Numa tigela grande misture a farinha, fermento e sal, reserve. Noutra tigela, misture os ovos e o açúcar e bata até ficar uma mistura pálida. Adicione a manteiga, óleo, leite e baunilha. Junte esta mistura à farinha, mexa para combinar tudo, não bata demais - não há problema em deixar carocinhos na massa. Junte a xícara restante de mirtilos e misture ligeiramente. Coloque a massa em forminhas preparadas, encha até a metade das forminhas. Coloque 1 colher de chá da geléia por cima da massa, use um palito de madeira para espalhar bem e por último salpique o açúcar aromatizado. Leve ao forno pré-aquecido a 205ºC por 17-20min, ou até que um palito saia seco quando inserido.
rendimento: 12 muffin. Fiz meia receita acima e obtive 8 bolinhos (forminhas de 80ml cada).

1.12.11

pot pie de frango


Alguns dias da semana eu janto sozinha em casa. E instintivamente procuro preparar refeições mais confortantes - eu que nunca fui muito chegada a sopas percebo que sinto vontade de comer nos meus jantares solitários. E pot pie me pareceu perfeito: uma tigela cheia de coisinhas gostosas aquecendo a mão enquanto assisto televisão no sofá. Mais tarde, quando marido chegou para jantar, disse que o recheio tinha gosto de infância - potinhos duplamente confortantes!
Receita pouquinho adaptada deste livro.

massa:
1½ xícara (235g) farinha de trigo
½ colher (chá) sal
½ xícara (125g) manteiga, gelada e cortada em pedacinhos
3-4 colheres (sopa) água gelada

recheio:
1 xícara cenouras picadas
1 xícara ervilhas (usei congelada)
1 xícara milho (usei da lata)
2 colheres (sopa) manteiga
5 sobrecoxas de frango (625g, pesadas com ossos e pele)
2 colheres (sopa) cebola picada
¼ xícara farinha de trigo
1 ½ xícara caldo de frango
½ xícara vinho branco seco
½ xícara leite (usei semi-desnatado)
1 colher (sopa) cebolinha picada
sal e pimenta-do-reino moída na hora
1 gema, para pincelar

Comece pela massa. Misture a farinha, sal e manteiga até ficar úmido. Adicione a água aos pouquinhos e vá amassando até ficar homogêneo. Se preferir, faça no processador. Não misture demais a massa. Enrole num filme plástico e leve à geladeira enquanto prepara o recheio.
Cozinhe em água e sal as cenouras e ervilhas por uns 5min. As cenouras devem estar macias, porém firmes. Retire da água. Se utilizar milho cru, debulhe as espigas e cozinhe por 1 min na mesma água. Reserve.
Retire os ossos e peles das sobrecoxas e pique em pedaços pequenos, tempere com um pouco de sal e pimenta. Derreta a manteiga numa panela grande, coloque o frango e frite até ficar dourado. Em seguida coloque a cebola e frite por mais 2min. Adicione a farinha de trigo, misture muito bem. Adicione o caldo de frango, vinho e leite, mexa bem, tampe a panela, deixe reduzir e engrossar este molho por uns 10min. Coloque as cenouras, ervilha, milho e cebolinha. Acerte o sal e a pimenta. Desligue e coloque a mistura num refratário de 23cm. Pincele as bordas do refratário com a gema, para "colar" a massa. Retire a massa da geladeira, abra sobre uma superfície enfarinhada, e cubra o refratário. Pincele com a gema e faça 3 cortes na massa, com uma faca, para escapar o vapor. Leve ao forno pré-aquecido a 200ºC por 30min. Deixe esfriar por uns 10min antes de servir.
rendimento: 4 a 6 porções. Fiz meia receita e coloquei em 4 potinhos - cada um valeu uma refeição.

24.11.11

dadinho de amendoim


Doces com amendoim sempre foram meus favoritos na infância: paçoca, pé-de-moleque e dadinho. Tempos atrás até pegava alguns dadinhos para facilitar o troco nas vendinhas por aí. Até que desisti: doce de infância merece ter a memória preservada e não ser profanado por essas porcarias cheias de gordura que grudam nos dentes e não têm sabor algum de amendoim!
Aí eu preparei os brownies com manteiga de amedoim, e o sabor do doce reacendeu minhas memórias - e as lombrigas também. Fiquei com idéia fixa de preparar o docinho, achei uma receita que parecia bem razoável e fui preparar. Olha, o doce dá um certo trabalhinho, fiquei na dúvida de qual o ponto era para processar as castanhas e não tenho certeza se ficou mais mole do que deveria. Só sei que ficou muito gostoso. Não é o dadinho'80s e definitivamente não é parecido com o atual. É um outro doce muito, muito bom que desmancha na boca e doce na medida, fica bom geladinho e melhor ainda depois de alguns dias.
A receita encontrei aqui. No modo de preparo coloquei minhas modificações.

1½ xícara amendoim moído
½ xícara castanha-do-caju moída (usei sem sal)
½ xícara açúcar 
1 colher (sopa) manteiga
pitada de sal
4 colheres (sopa) açúcar de confeiteiro

Passe pelo processador o amendoim e a castanha-do-caju até formar ficar fininha - se preferir utilize-as já na forma de farinha. Coloque o amendoim, castanha-do-caju, açúcar, mateiga e sal no processador, até formar uma pasta. Em seguida coloque numa panela, em fogo baixo e mexa a massa até desgrudar do fundo da panela. Eu processei tudo até ficar uma massa granulosa, coloquei na panela, quando a massa ficou quente, voltei para o processador e a massa virou uma pasta rapidamente, pois ajudou a soltar os óleos das castanhas. Coloque num prato fundo e leve à geladeira por 30min, ou até amornar. Adicione o açúcar de confeiteiro aos poucos e vá incorporando à massa, vai ajudar a ficar mais seco. Molde os dadinhos com as mãos - eu preferi colocar a massa sobre papel manteiga, moldar com as mãos um quadrado de 2cm de altura e depois de frio cortei os cubinhos com uma faca.
rendimento: consegui uns 60 dadinhos.

17.11.11

biscoitinho de laranja com chocolate


Meses atrás comprei o livro Cooking at Home porque seria uma esperança para melhorar o nível da gororoba servida à noite por/para mim e para o marido - o livro é cheio de receitas salgadas muito práticas. O tempo passou e o livro ficou parado na estante, a gororoba melhorou por outros motivos. Resolvi dar uma olhada no pobrecito do livro, e claro! A primeira receita escolhida tinha que ser doce, se não fosse assim, não seria eu, né? O lado bom é que a escolha foi acertada, sempre achei a combinação de laranja com chocolate meio estranha, mas sempre tive boas surpresas com ela.

1½ xícara (235g) farinha de trigo
½ xícara (125g) açúcar
¼ xícara (30g) amido de milho
1 colher (sopa) + 1 colher (chá) raspas de laranja
pitada de sal
¾ xícara (185g) manteiga, gelada e cortada em pedacinhos
½ colher (chá) baunilha
125g chocolate meio-amargo*, picadinho

Pré-aqueça o forno a 180ºC. No processador coloque a farinha, açúcar, amido, sal e raspas de laranja, pulse até combinar tudo. Adicione a manteiga e baunilha, processe até formar uma massa meio homogênea. Coloque a massa sobre uma folha de papel manteiga e amasse algumas vezes para uniformizar bem a massa. Se estiver muito mole a massa, coloque por alguns minutos na geladeira. Com um rolo, abra a massa sobre o papel, numa espessura de 0,5cm (eu sempre faço mais fino), corte com um cortador - usei um redondo de 5cm - e disponha os biscoitinhos numa assadeira forrada com papel manteiga. Não é necessário deixar muito espaço entre os biscoitinhos, pois eles não crescem muito. Leve ao forno por 15cm, ou até dourar levemente. Retire do forno, espere esfriar um pouco na assadeira, coloque sobre gradinhas e espere esfriar completamente.
Derreta o chocolate. De preferência use uma tigela estreita e funda, ou uma xícara. Mergulhe cada biscoitinho até a metade, e coloque sobre uma assadeira, também forrada com papel manteiga e leve à geladeira para o chocolate endurecer. Coloque os biscoitinhos em pote hermético e mantenha na geladeira até servir. Como o chocolate não passou pelo processo da temperagem, logo irá derreter se ficar muito tempo em temperatura ambiente. Num recipiente bem fechado os biscoitinhos não perderão a crocância - e nem vão durar muito ;)
Rendimento: 24 biscoitinhos, com cortadores de 7cm. Fiz meia receita, usei um cortador de 5cm, abri a massa fina e obtive 30 biscoitinhos.
* A quantidade de chocolate foi insuficiente, precisei derreter um pouco a mais.

10.11.11

mini cheesecake de framboesa


Fiz cheesecake apenas uma vez na vida, apesar de todo mundo ter gostado, achava que ainda não estava bom. Até que fiz novamente esta versão mini. Segui todas as instruções da receita, principalmente temperatura e tempo de forno, quando retirei do forno e vi os bolinhos balançando com jeitão de ainda crus, logo pensei que havia algo errado, voltaram para o forno. Um leve desespero, faço drama. Até que achei esse texto bem explicativo, que me fez pensar que a base de um bom cheesecake é a confiança. Quando o cheesecake está pronto, nunca vai parecer que está pronto, tem que confiar. E aí me dei conta que tenho problemas com docinhos que não parecem assados quando saem do forno, como brownies que demorei a acertar o ponto.
A primeira fornada ainda passou um pouco do ponto, depois resolvi deixar a segunda no tempo correto, mandei pra geladeira de um dia para o outro e deu tudo certo. Ah, como base usei aquela bolacha de aveia e mel, da Nestlé, triturei a bolacha, tudo certinho. Sobrou muita mistura de cream cheese, e para não perder apenas coloquei uma bolacha no fundinho da forma - o tamanho era certinho - e achei que ficou mais saboroso só com a bolacha inteira. Para quem quiser fazer assim, queima uma etapa e economiza tempo ;)
Receita do livro aqui.

1 ½ xícara de bolacha doce, tipo maizena, moida
3 colheres (sopa) manteiga, derretida
1 ½ xícara + 2 colheres (sopa) açúcar
170g framboesa
900g cream cheese, temperatura ambiente
pitada de sal
1 colher (chá) baunilha
4 ovos grandes, temperatura ambiente


Pré-aqueça o forno a 170ºC. Coloque forminhas de papel dentro das formas de muffin. Triture a bolacha, misture a manteiga. Pressione 1 colher de sopa da bolacha no fundo de cada forminha. Leve ao forno por 5min. Deixe esfriar. Enquanto isso, passe as framboesas pelo processador, até formar um purê, depois passe por uma peneira para descartas as sementes, misture 2 colheres (sopa) de açúcar e reserve. Na batedeira coloque o cream cheese e bata em velocidade média até ficar fofo. Adicione o açúcar. Em seguida coloque o sal e baunilha. Por último adicione os ovos, um a um, batendo bem após cada adição.  
Coloque 3 colheres de sopa da mistura nas forminhas preparadas, por cima pingue algumas gotinhas do purê de framboesa, e com um palito de madeira, faça movimentos circulares para mesclar. Coloque as forminhas numa assadeira alta (minhas forminhas de muffin são individuais), despeje água na assadeira até cobrir metade das forminhas e leve ao forno pré-aquecido a 170ºC, por 22min, virando a forma na metade do tempo. Retire do forno, deixe esfriar bem, e leve à geladeira - ainda dentro das forminhas de metal - por pelo menos 5 horas antes de servir - o ideal é passar uma noite na geladeira.
Rendimento: 32 mini cheesecakes. Fiz 1/3 da receita e obtive 10. Aconselho a preparar um pouco mais de base de bolacha.

8.11.11

panna cotta de baunilha com morangos


Sempre que via uma receita de panna cotta, ficava me pergundo, por que ainda não preparei? Cri-cri-cri. É, nenhuma justificativa para minha falta. Até comentei com o marido do que ele achava (leia-se: você me ajuda a comer?) - ao listar os ingredientes ele pensou que era algo parecido com aquela mistura branca da gelatina mosaico (uma sobremesa super na moda nos idos de 1980) e logo rejeitou a idéia da panna cotta. Eu simplesmente ignorei a cara feia dele e pensei: é impossível esse treco ser ruim! Estava certa, ficou deliciosa, os morangos combinaram muito bem... e ainda fiz o marido feliz com uma sobremesa cremosa :)
Receita desse livro.

¼ xícara água
3 ½ colheres (chá) gelatina em pó sem sabor
3 ¼ xícaras creme de leite fresco
¾ xícara açúcar de confeiteiro
1 fava de baunilha



Coloque a água numa tigelinha e aos poucos salpique a gelantina em pó sobre a água, deixe por 5min. Numa panelinha coloque o creme de leite, açúcar e a fava da baunilha - abra no sentido do comprimento, raspe as sementes com uma faquinha e coloque tudo na panela. Deixe aquecer em fogo médio-baixo por 5min, mexendo de vez em quando. Coloque a gelatina hidratada na panela e sem parar de mexer, deixe no fogo por 2min. Distribua a mistura em potinhos, espere amornar, cubra e leve à geladeira por 4-6 horas. Sirva com os morangos cozidos.
Para os morangos, usei 1 bandejinha de 300g. Lave, retire os cabinhos e corte no sentido do comprimento os morangos maiores. Coloque numa panela com 2 colheres (sopa) de açúcar, e leve para aquecer. Quando os morangos estiverem cozidos e ainda firme, reitire-os da panela, transfira para uma tigela. Terá se formado uma calda junto com os morangos, abaixe o fogo para o mínimo e deixe esta calda reduzir, até ficar como um xarope. Despeje a calda sobre os morangos.

3.11.11

muffins de banana e canela


Havia comprado bananas com a intenção de usar em outra receita. O tempo foi passando, eu adiava preparar o bolo que planejava, e as bananas não estavam dispostas a esperar minha indecisão, amadureceram no tempo delas. A fruta não é das mais apreciadas em casa para comer in natura, e de um jeito ou de outro, sempre acabam virando ingrediente. Ao mesmo tempo percebi que faz um tempo que não rolava nenhum muffin por aqui, então me pus a procurar mais uma receita de muffin de banana - como se já não houvesse receitas o suficiente postadas! Estes são bem fáceis, ficaram bem macios - e ainda melhores alguns dias depois. Receita daqui.

350g (2½ xícaras) farinha de trigo
½ colher (chá) sal
1 ½ colher (chá) fermento em pó
½ colher (chá) bicarbonato de sódio
2 colheres (chá) canela em pó
160g açúcar
375ml buttermilk* (usei iogurte)
1 ovo
1 ½ colher (chá) baunilha
70g manteiga, derretida
400g bananas, cerca de 4-5 bananas médias


Pré-aqueça o forno a 170ºC. Numa tigela grande coloque a farinha, açúcar, sal, fermento, bicarbonato e canela, misture bem. Numa outra tigela coloque o buttermilk, ovo e baunilha, misture. Aos pouquinhos coloque a mistura líquida na tigela dos secos. Mexa somente para incorporar. Adicione a manteiga derretida, misture. Por último coloque as bananas já amassadas, e mexa somente para dispersar os pedacinhos de banana, não precisa incorporar tudo. Coloque a massa nas forminhas, por cima salpique açúcar e canela. Leve ao forno por 20-30min, ou até que um palito saia seco. Deixe esfriar.
rendimento: 12 muffins, fiz meia receita e obtive 10 muffins, em forminhas de 80ml de capacidade. 
* para fazer o buttermilk caseiro, misture uma colher de sopa de limão - ou vinagre de maçã - para cada xícara de leite, aguarde uns 10 minutos e estará pronto para usar.

1.11.11

bolo de mel com calda de água de flor de laranjeira e amêndoas


Puxa, que título extenso para um bolo tão pequeno! Como muitas vezes acontece, a receita foi escolhida para desovar algum item na despensa perto do prazo de vencimento. Neste caso foi o mel, já bem cristalizado, mas nada que uns segundos no microondas não resolvesse.
Bom, na verdade este bolo é um cupcake, para ser distribuido em forminhas e cobertos com um glacê bem amanteigado - pois assim que é apresentado no livro. Mas eu não queria comer buttercream, e nem sei fazer aquelas decorações lindas de cupcakes, então preferi ser mais realista e honesta com meus gostos e habilidades e coloquei numa assadeira de bolo. Coloquei amêndoas laminadas pra ficar bonitinho. Para a cobertura logo pensei naqueles doces árabes que tanto gosto, e decidi fazer somente uma calda de açúcar aromatizada com água de flor de laranjeira. O bolo fica um pouco denso, ótimo para acompanhar um café da tarde e acreditem, apesar de levar mel e açúcar não ficou muito doce.

bolo:
2 xícaras farinha de trigo
½ colher (chá) bicarbonato de sódio
1 colher (chá) fermento em pó
1 colher (chá) sal
½ colher (chá) canela em pó
2 ovos grandes, temperatura ambiente
½ xícara açúcar refinado
¼ xícara açúcar mascavo
½ xícara + 2 colheres (sopa) mel
½ xícara leite
½ xícara óleo vegetal
½ colher (chá) raspas de limão
2 colheres (sopa) amêndoas laminadas

calda (medidas para meia receita do bolo):
4 colheres (sopa) açúcar
2 colheres (sopa) água
½ colher (chá) água de flor de laranjeira

Misture numa tigela a farinha, bicarbonato, fermento, sal e canela. Na tigela da batedeira coloque os ovos e adicione os açúcares, bata até formar uma creme claro. Adicione o mel, leite, óleo e raspas de limão. Diminua a velocidade da batedeira e coloque a mistura de farinha, em duas vezes, esperando incorporar à massa, antes de acrescentar o restante. Coloque a massa numa forma* untada e polvilhada com farinha, espalhe a amêndoa e leve ao forno pré-aquecido a 180ºC por 30min, ou até um palito sair seco. Deixe esfriar.
Enquanto o bolo esfria, prepare a calda colocando tudo numa panelinha e leve ao fogo até ficar levemente dourado.  Não saia de perto do fogão, pois a calda fica pronta rapidamente e se deixar muito tempo vai endurecer - como aconteceu com a minha. Retire a panelinha do fogo e despeje sobre o bolo.
* fiz meia receita e coloquei numa forma quadrada de 15cm. Se fizesse a receita inteira colocaria numa forma quadrada de 20cm, ou numa redonda de 23cm. Esta receita é para cupcakes, no livro o rendimento é 20 bolinhos.

27.10.11

brownie de chocolate e manteiga de amendoim


Hoje estou sem inspiração para o post. Sabe aquela receita que dá tudo certo, fica deliciosa, todo mundo come, repete e deixa saudade quando acaba? Aconteceu tudo isso com estes brownies, eu achei a massa crua a coisa mais gostosa do mundo, parecia Dadinho dos bons tempos. 
Só ocorreram alguns percalços operacionais. Ignorei a recomendação de usar batedeira, e foi difícil bater aquele monte de açúcar na mão - de certa forma já estava me exercitando sábado pela manhã para devorar os quadradinhos no lanche da tarde. E não ficou mesclado, como prometia o título da receita, porque coloquei muita massa no topo, sugiro deixar menos da metade de massa de amendoim para cobrir. Exceto por essas duas coisinhas - falhas totalmente minhas - foi um dos melhores brownies já provados. Receita desse livro.

140g chocolate meio-amargo, picadinho
112g manteiga sem sal, temperatura ambiente
2 xícaras (450g) açúcar mascavo
¾ xícara (190g) manteiga de amendoim cremosa (usei Skippy)
3 ovos grandes, temperatura ambiente
2 colheres (chá) extrato de baunilha
1 ¼ xícara (170g) farinha de trigo
2 colheres (chá) fermento em pó
½ colher (chá) sal
½ xícara (80g) amendoim, picado

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Unte uma forma retangular de 20x30cm*, forre com papel alumínio, deixando sobras de papel nas laterais da forma (facilitará para desenformar), e unte novamente. Derreta o chocolate e reserve. Na batedeira coloque o açúcar mascavo e a manteiga, bata por 5min, ou até ficar mais claro. Adicione a mateiga de amendoim e bata para homogeneizar. Quebre os ovos numa tigela e misture ligeiramente com um garfo. Coloque aos pouquinhos os ovos na mistura de manteiga e batendo em velocidade média. Em seguida coloque a baunilha. Adicione a farinha, fermento e sal - previamente combinados - somente até incorporar. Por fim coloque o amendoim. Separe metade da massa e misture ao chocolate derretido. Coloque na forma metade da massa de amendoim e uniformize a massa, espalhando com uma espátula. Por cima coloque a massa de chocolate e alise também com a espátula. Por fim, coloque colheradas da massa de amendoim, e faça movimentos circulares com um palito, para dar um efeito mesclado. Leve ao forno por 30-40min, ou até que um palito inserido no centro da forma saia ligeiramente úmido. Espere esfriar antes de desenformar.
* fiz 2/3 da receita e coloquei numa forma quadrada de 20cm.

20.10.11

torta de tomate


Quando eu era criança, era também muito chatinha para comer, não gostava disso, daquilo. Havia um pequeno grupo de alimentos que gostava e não queria me aventurar por outros sabores. Mas uma das coisas boas de crescer é mudar de idéia, expandir horizontes e aumentar o repertório de gostos - não só os alimentares. Aqui entra o tomate, que se tornou um gosto adquirido: primeiro me limitava a colocar uma rodela no meio do sanduíche, aos poucos já admitia tê-lo na salada e hoje fico bem satisfeita com uma tigela de tomates picados com um pouco de sal.
Esta torta, à primeira vista, me pareceu uma pizza feita com patê brisée, no entanto tem todo o jeitão de torta. Aqui usei o queijo fontina, sugerido na receita, porque não conhecia e queria experimentar, mas creio que todo queijo que derrete fácil deve combinar na torta. Receita da dona Martha.

massa:
1¼ xícara farinha de trigo
½ colher (chá) sal
100g manteiga, gelada e cortada em pedacinhos
30ml (2 colheres de sopa) água gelada

recheio:
1 cabeça de alho
3 colheres (sopa) azeite
¾ xícara (85g) queijo fontina, ralado no ralo grosso
4 tomates médios, bem maduros e ainda firmes, cortados em rodelas
folhas de manjericão (coloquei salsinha)

Aqueça o forno a 180ºC. Coloque a cabeça de alho sobre uma folha de papel alumínio, despeje uma colher de sopa de azeite e embrulhe o alho no papel. Coloque sobre uma assadeira e leve ao forno por 45min, ou até ficar macio quando espetado com uma faca. Retire do embrulho e amasse os dentes de alho com um garfo, descarte as cascas, e reserve.
Prepare a massa. Na tigela do processador coloque a farinha, sal e manteiga, pulse até formar uma farofa úmida. Adicione a água aos pouquinhos, até que uma massa de forme, não processe demais, e pode ser necessário mais água, ou menos também. Coloque a massa sobre uma superfície enfarinhada e amasse algumas vezes, só até ficar homogênea. Abra a massa com um rolo e cubra-a uma forma redonda de 25cm*, fure a massa com um garfo e leve ao freezer por 30min.
Espalhe o alho amassado sobre a massa, cobrindo toda a superfície. Em seguida espalhe ½ xícara do queijo ralado, e disponha as rodelas de tomate, uma sobre a outra, formando uma espiral. Salpique o sal (usei sal grosso moído) e pimenta, espalhe o restante do queijo e o azeite. Leve ao forno já pré-aquecido a 200ºC por 40-50min, ou até que a massa esteja dourada e o queijo derretido. Aguarde 20min para esfriar, sirva morno.
* fiz dois terços da receita, coloquei numa forma de 20cm e a quantidade da massa foi suficiente.

18.10.11

sorvete cheesecake de morango


E dia desses eu cismei que precisava tomar sorvete. Sim, uma necessidade sem lógica nenhuma, e que não poderia ser satisfeita com sorvete industrializado. Eu me acostumei muito mal com sorvete caseiro, sempre que provo algum pronto acho tão aguado e sem graça que prefiro ficar sem. Pois então, dei de cara com esta receita sabor cheesecake, tão fácil, só bater tudo no liquidificador... e vamos combinar que é só um sorvete de cream cheese, exagero chamá-lo de cheesecake, mas como não fui eu quem criou a receita, deixo o nome assim. A despeito do nome, fica bem saboroso, leve e nada enjoativo. Ah, rende pouco, o que de certa forma, não é tão ruim por aqui...
Receita um pouco adaptada do The Perfect Scoop.

230g cream cheese 
½ limão verdinho, só as raspas
1 xícara creme de leite
125ml leite semi-desnatado
2/3 xícara (130g) açúcar
pitada de sal
¼ xícara geléia de morango, mais ou menos

Corte o cream cheese em pedacinhos, e coloque no liquidificador, juntamente com as raspas de limão, creme de leite, leite, açúcar e sal. Bata até ficar bem homogêneo, cerca de 2min. Coloque a mistura numa tigela, cubra e leve à geladeira por algumas horas. Passe a mistura pela sorveteira. Num pote, coloque metade do sorvete, por cima espalhe um pouco de geléia, coloque a outra metade do sorvete e cubra novamente com geléia. Leve ao freezer.
rende: aproximadamente 750ml.

A geléia usei caseira. Faço de um jeito bem simples: retiro todos os cabinhos do morango e peso. Depois lavo e corto em pedaços não muito miúdos. Coloco na panela e acrescento 40% do peso dos morangos em açúcar, mexo bem, e deixo em fogo médio. Se quiser menos pedaçudo, vá amassando os morangos já cozidos com um garfo. Quando estiver num ponto de calda, quase parando de pingar na colher, está pronto. Leva uns 20min na panela, dependendo da quantidade de morangos + açúcar.

13.10.11

bolo de amêndoas e frutas vermelhas


Na terça-feira marido me viu tirando a manteiga da geladeira e perguntou o que ia ser, respondi: hoje vai ter bolo! Em seguida ele indagou se era para uma ocasião especial, titubiei antes de responder, e falei que sim, era uma ocasião especial: aniversário do meu pai. Logo me lembrei desse lindo post da Sandra, que me deixa com um nó na garganta cada vez que leio, e decidi que sim, meu pai merece um bolo em sua homenagem todo dia onze de outubro. No ano passado, essa data também significava um mês da sua morte, estava tudo tão confuso e difícil, e não consegui pensar em nada. Mas esse ano, apesar da saudade e por causa da saudade, quis fazer algo como homenagem.
Talvez meu pai preferiria um bolo de cenoura (seu preferido), ou o pudim de leite da minha mãe, mas acho que ele ia gostar bastante desse bolinho igualmente simples e bonito. Receita coisinha de nada adaptada daqui.

80g manteiga, temperatura ambiente
110g açúcar
2 ovos
½ colher (chá) baunilha
150g farinha de trigo
1 colher (chá) fermento em pó
110g amêndoas sem pele, moída
3 colheres (sopa) amaretto
150g framboesa
100g mirtilo
1 colher (chá) açúcar
¼ colher (chá) canela em pó
açúcar de confeiteiro



Pré-aqueça o forno a 180ºC, unte as laterais e polvilhe farinha numa forma redonda de 20cm*, unte e forre o fundo com papel manteiga, reserve. Na batedeira coloque manteiga + açúcar e bata até ficar um creme claro e fofo. Adicione os ovos, um a um, batendo bem após cada adição, em seguida coloque a baunilha. Peneire a farinha e fermento, misture a amêndoa. Coloque aos poucos a mistura na batedeira, até ficar homogêneo. Por fim, coloque o amaretto, bata somente até incorporar. Coloque a massa na forma preparada, alise bem e disponha as frutinhas. Polvilhe o açúcar e a canela, leve ao forno até ficar dourado e um palito sair seco quando inserido no centro da forma. Deixe esfriar bem, desenforme e polvilhe açúcar de confeiteiro.
*Na receita original a forma usada é de 23cm, coloquei numa menor e a massa se acomodou bem, porém, coloquei bem menos frutinhas.

6.10.11

cookies (super fáceis) de pecãs e chocolate


Eu gosto tanto dessas receitas-surpresa, folhear um livro como quem não quer nada, ler uma receita que promete sujar uma tigela, e eu fiquei pensando: será que resultam em cookies de "meia-tigela", de tão ridiculamente simples de fazer? Executei todos os passos da receita meio sem pretensão de que ficasse bom, e fui surpreendida por um dos melhores cookies que já provei, tendo como bônus-super-extra a facilidade e a alegria de não precisar usar batedeira - já falei que desprezo odeio minha batedeira? Pois é.
Receita do livrinho aqui.

2 xícaras pecãs, picadas
200g manteiga sem sal
¾ xícara açúcar mascavo, aperte bem para medir
¾ xícara açúcar granulado
½ colher (chá) sal
2 colheres (chá) extrato de baunilha
2 ovos grandes
2 ¼ xícaras farinha de trigo
½ colher (chá) bicarbonato de sódio
¼ colher (chá) fermento em pó
2 xícaras chocolate meio-amargo, picado (coloquei gotas de meio-amargo e ao leite)

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Coloque as pecãs numa assadeira e leve ao forno por 6-9 min, só para soltar os aromas. Transfira para um prato e deixe esfriar. Numa tigela grande, que possa ser levada ao microondas, coloque a manteiga e leve ao microondas por 1min, retire e mexa até derreter completamente. Usando uma colher de pau misture os açúcares à manteiga. Adicione o sal, baunilha e ovos, misture até ficar bem homogêneo. Coloque a farinha, bicarbonato e fermento, misture somente até incorporar. Por fim, adicione o chocolate e pecãs. Faça bolas com a massa e leve à geladeira até firmar, por 45-60 min. Volte a aquecer o forno a 180ºC. Disponha as bolotas de massa, levemente achatadas, numa assadeira forrada com papel manteiga, e asse por 15-18min, ou até ficar dourada nas bordas e ainda macia no centro. Transfira para uma gradinha até esfriar completamente, então guarde em pote hermético por até dois dias. A bolas de massa podem ser levadas ao freezer, e congeladas por até 1 mês.
rendimento: 18 cookies grandes, fiz meia receita e obtive 13, de 60g cada.

4.10.11

clafoutis de tangerina e água de flor de laranjeira


A época de tangerinas está acabando mesmo, e deixando saudade. Felizmente ainda deu tempo de preparar este clafouti, que vi no Trem Bom, pois era uma ótima receita para estrear minha garrafinha de água de flor de laranjeira que comprei movida por pura curiosidade. À primeira cheirada, a água não agradou muito - parecia perfume, e vou confessar a vocês que eu não gosto de perfumes - mas na mistura toda com as mexericas ficou bem saboroso e discreto, como deve ser. Na receita, a Valentina explica para tirar a pele que reveste cada gomo da mexerica, eu não consegui fazer isso sem destroçar os pobres gomos, então cortei a parte de cima do gomo, que é mais grossa, retirei as sementes e usei assim.

120g açúcar 
5 tangerinas, sem sementes
150ml creme de leite fresco
150ml leite
2 ovos + 3 gemas
4 colheres (chá) água de flor de laranjeira
25g farinha de trigo
Unte potinhos e polvilhe um pouco de açúcar. Descasque as mexericas e separe os gomos e retire as sementes. Disponha os gomos sobre os potinhos preparados. Leve ao fogo o leite e creme de leite até abrir fervura. Retire do fogo e reserve. Numa tigela coloque os ovos e as gemas, adicione o açúcar. Com um fouet misture tudo até ficar homogêneo. Coloque a água de flor de laranjeira + farinha de trigo e misture bem. Despeje o leite aquecido à tigela e misture somente para incorporar. Divida a mistura entre os potinhos. Leve ao forno pré-aquecido a 190C por 30 minutos. Retire do forno, polvilhe com o açúcar de confeiteiro e sirva com uma colherada de iogurte natural ou creme fraîche. Eu prefiro comer purinho.

29.9.11

linzertorte de amora


Quer saber de algo que me deixa bem irritada? Minha memória me trair.
O pé de amora na casa dos meu sogros já estava carregado para a primeira leva, eu peguei um montão das amoras já com a idéia pronta de fazer geléia para uma linzertorte, cuja receita vi num dos meus livros, era de framboesa, mas eu queria de amora. Depois da geléia pronta, que rendeu bem menos que esperava, fui procurar a tal receita, e cadê? Olhei tudo, olhei até outros livros que não abria faz tempo e nada da torta.
Eu não ia desistir da torta tão facilmente, e se não tinha receita nos livros, com certeza teria dezenas delas na web. Achei e gostei dessa aqui.
Bom, a estrela da torta é a massa. Uma estrela difícil e temperamental, é preciso dizer. Foi uma relação de amor e ódio com a massa, que me exigiu muita paciência na hora de abrir para fazer o topo, pois ficou muito quebradiça; mas ao provar, a massa é absolutamente deliciosa, acho que não me lembro de provar outra tão saborosa e crocante. Com certeza vale a pena fazer somente a massa, mesmo que seja na forma de biscoitinhos, como fiz com as sobras ;)

200g farinha de trigo
¼ colher (chá) canela em pó
1/8 colher (chá) cravo em pó
¼ colher (chá) sal
1 colher (sopa) raspas de limão
155g amêndoas sem pele
125g açúcar de confeiteiro
170g manteiga, temperatura ambiente
3 gemas
500g geléia de amora, ou outra da sua preferência
1 colher (sopa) leite
açúcar cristal ou granulado

Misture a farinha, canela, cravo, sal e raspas de limão, reserve. No processador coloque amêndoas e açúcar de confeiteiro, processe até ficar bem fininho. Na batedeira coloque a manteiga e bata até ficar cremoso, adicione a mistura de amêndoas, em seguida coloque 2 gemas. Por fim, coloque a mistura de farinha. Essa parte toda da batedeira eu fiz na mão. Separe dois terços da massa e forre uma forma redonda de 23cm*. Espalhe a geléia sobre a massa (se a geléia estiver muito grossa, aqueça um pouquinho no microondas que facilita). Com o último terço da massa, faça tirinhas diagonais, cobrindo toda a superfície. Leve à geladeira por 30min. Misture a última gema com o leite e pincele sobre a cobertura de massa, salpique o açúcar granulado e leve ao forno pré-aquecido a 180ºC por 45-55 min, ou até a massa dourar e a geléia borbulhar.
* Fiz dois terços da receita, e coloquei em duas formas redondas de 13cm, e ainda sobrou um bom tanto de massa.

22.9.11

friands de cacau e avelãs


De vez em quando eu entro numas de estocar comida como se fosse morar num bunker e lá passarei os próximos 3 anos (!). Em casa somos dois, marido faz apenas uma refeição por dia, às vezes nenhuma. Então, fica muita comida guardada, o freezer é lotado sempre, no armário da despensa só falta cair coisas pelo chão - a geladeira é exceção porque é por onde começo a varredura. Felizmente essa loucurinha por comprar muita comida é esporádica, senão desperdício seria comum. Aí me vejo com um monte de ingredientes (raramente compro alimentos processados) comprados sem nenhum planejamento. Aqui que entra um pacote de avelãs adquirido por impulso, usei uma parte neste bolo, no brownie e agora as avelãs tiveram um fim digno nos friands.
Ah, a receita eu copiei há muito tempo de algum lugar da internet, foi direto pro papel traduzido, então fico devendo a fonte dessa vez.

200g avelãs
185g manteiga, derretida e fria
6 claras
155g farinha de trigo
30g cacau em pó
250g açúcar de confeiteiro



Pré-aqueça o forno a 200ºC. Toste as avelãs no forno por uns 8-10min, depois envolva num pano e esfregue vigorosamente para retirar a pele, em seguida, triture-as no processador e reserve. Numa tigela grande bata as claras, não precisa deixar muito firme, apenas espumosa. Noutra tigela peneire a farinha, cacau em pó e açúcar de confeiteiro. Por último coloque as avelãs moídas. Adicione esta mistura seca às claras, misture bem e então coloque a manteiga derretida e mexa bem. Coloque a massa em forminhas previamente untadas e polvilhadas com farinha, enchendo até ¾ da capacidade das forminhas. Leve ao forno por 20-25min, ou até um palito sair seco. Deixe esfriar bem sobre gradinha antes de desenformar.
Fiz meia receita acima e obtive 6 bolinhos, minhas forminhas têm capacidade para 1/3 xícara.

20.9.11

linguine com cogumelos e limão siciliano


Sabe criança que quer assistir 349451 vezes o mesmo DVD? Eu sou assim com algumas comidas. Eu como e como de novo, e quero mais, aí acaba e fico doida até comprar de novo... Estou assim com cogumelos. Pode ser portobello, paris, shitake, shimeji, se eu vejo cogumelos frescos eu levo pra casa. Se tiver com um preço bom aí que eu perco o bom senso, mesmo. Os cogumelos com os melhores preços eu encontro nos mercadinhos da Liberdade, pode ser qualquer lojinha, os preços variam muito pouco, e é lá onde tenho sustentado meu vício atual. Esta receita eu vi num programa da Nigella, como reprisa muito, algumas coisas passam batido, eu revejo e sempre encontro alguma coisa interessante. Achei a combinação com limão perfeita!

1 porção de linguine (80g)
150g cogumelos Paris, frescos
2 colheres (sopa) azeite
1 dente de alho, picadinho
1 limão siciliano pequeno, raspas e suco 
sal e pimenta-do-reino branca, a gosto
galhinhos de tomilho fresco (usei o seco)
3 colheres (sopa) parmesão ralado

Coloque a água para cozer o macarrão. Pique o cogumelo em lâminas e reserve. Quando colocar o linguine na água, aqueça uma frigideira grande com azeite, coloque os cogumelos, alho, suco e raspas do limão, sal, pimenta e tomilho. Mexa de vez em quando e não deixe cozinhar demais, cerca de 5min. Quando o macarrão estiver cozido, reserve um pouco da água, e escorra. Coloque na panela dos cogumelos, misture bem, adicione o parmesão e coloque um pouco da água do cozimento, para formar um molho. Se desejar, coloque mais queijo.
Serve uma porção bem faminta.

15.9.11

clafoutis de mirtilo


Há épocas que eu fico com uma receita na cabeça, e não sai. Gruda na cabeça igual música ruim - a diferença que cozinhar é divertido na maior parte do tempo - e às vezes até sonho com a receita! Aliás, livros de receita estão proibidos para ler antes de dormir, porque eu passo a noite toda sonhando loucamente com os docinhos, não provo absolutamente nada e acordo cansada. Vá entender... Mas não resisti por muito tempo para preparar este clafouti no último feriado. Ficaram bons, e o melhor momento deles é comer logo que sai do forno, quentinhos e com os mirtilos explodindo na boca :o
Receita desse livrinho.

120g mirtilos
4 ovos grandes
6 colheres (sopa) açúcar
raspas de 1 limão
1 colher (chá) baunilha
5 colheres (sopa) farinha de trigo
pitada de sal
¼ xícara creme de leite
¾ xícara leite integral
2 colheres (sopa) amaretto ou limoncello (opcional)
açúcar de confeiteiro, para polvilhar

Pré-aqueça o forno a 200ºC. Unte com manteiga um refratário de 23cm, e polvilhe com acúcar. Coloque os mirtilos sobre o refratário e reserve. Numa tigela grande misture os ovos e açúcar, e mexa com com um fouet. Em seguida adicione as raspas de limão e a baunilha. Adicione a farinha e sal, misture até a farinha se dissolver completamente. Por fim, coloque o creme de leite e o leite, misture bem. Coloque a massa sobre o refratário, arrume os mirtilos para ficarem espalhados uniformemente sobre a forma. Leve ao forno por 40min, ou até que o centro esteja firme e as beiradas douradas. Assim que retirar do forno, espalhe o licor sobre a massa, aos pouquinhos. Quando estiver morno, peneire o açúcar de confeiteiro e sirva com um pouco de creme de leite batido.

8.9.11

mousse de chocolate branco com limão siciliano


A receita é simples: junte algumas claras congeladas que se proliferam em progressão geométrica, um tantinho de chocolate branco já passando do prazo de vencimento, combine um limão vergonhosamente esquecido na gaveta da geladeira e um marido chegado em sobremesas cremosas. Junta tudo e se transforma nesta deliciosa mousse.
Mas nem tudo é festa. Eu levo um baile do chocolate branco que sempre teima em não derreter completamente, fica cheio de carocinhos - dependendo do uso ainda passa, mas para mousse não dá. Aquecer mais também não é uma boa opção, porque já queimei chocolate assim. Nesta receita minha solução foi adicionar um tanto mais de chocolate, depois de muito mexer e chegar naquele ponto em que os carocinhos não se desfazem, eu os descartei (na verdade eu comi, mas só quis dizer que retirei da mistura :p)
Se alguém souber como derreter chocolate sem carocinhos invencíveis, eu agradeço muito!
Ah, a receita é do Larousse do Chocolate.

1 limão siciliano
150ml creme de leite
250g chocolate branco, picado
5 claras
20g açúcar

Coloque numa panelinha o creme de leite e raspas do limão. Leve ao fogo até abrir fervura. Desligue e adicione o chocolate picado. Mexa até derreter todo o chocolate. Quando a mistura chegar até 30C (aqui você pode usar um termômetro culinário, ou testar a temperatura que deverá ser levemente fria, sem aquela sensação de calor) coloque o suco do limão, mexa bem para incorporar. Bata as claras em neve, adicione o açúcar, e bata até chegar a picos firmes. Adicione ¼ das claras à mistura de chocolate, misture bem, e adicione as claras restantes, mexa delicadamente para as claras não perderem o volume. Coloque numa tigela - ou em potinhos individuais - cubra com filme plástico e leve à geladeira.
Fiz meia receita acima, rendeu 3 tigelinhas generosas.

6.9.11

frango tikka masala


Quem me apresentou este prato foi o marido que gosta de preparos mais condimentados. Tentamos algumas vezes esta receita - que é excelente - mas demorou para acertar o ponto da pimenta. Na primeira vez ficou tão apimentado, que apesar de muito saboroso, deu perda total no prato. Simplesmente não deu para comer, minha língua queimava, tentei tomar leite, iogurte e o que acalmou mesmo foi chocolate branco, o que de certa forma virou extensão do almoço, porque não deu para terminar o prato. Na outra tentativa, passou um pouco do ponto da pimenta, ficou muito bom e eu comi toda feliz por dias e dias, embora ainda não estava do jeito que eu queria que ficasse. Impressionante o poder de ardor da pimenta cayena, um pouquinho bem pouco a mais e tudo fica apimentado em excesso! Bom, agora finalmente acertei o tempero para o meu paladar, o segredo - bem óbvio - é ir colocando a pimenta bem de pouquinho mesmo, mexe bem, aguarda uns minutos e experimenta. Na receita abaixo colocarei as quantidades que encontrei na receita original, porque deve haver alguém no mundo que consegue suportar tal quantidade, mas não recomendo nem metade disto. Ah, para quem não come carne, vegetais em cubinhos podem susbstituir o frango. Receita daqui.

marinada:
1 xícara iogurte desnatado
2 dentes de alho, picadinho
1 colher (sopa) gengibre ralado
1 ½ colher (chá) cominho em pó
1 ½ colher (chá) coentro em pó
¼ colher (chá) cardamomo em pó
¼ colher (chá) pimenta cayena
¼ colher (chá) cúrcuma
sal e pimenta-do-reino, a gosto
1,2kg sobre-coxa de frango, sem osso

¼ xícara amêndoas inteiras, sem pele
1 cebola grande, picada
2 dentes de alho, picados
1 colher  (chá) gengibre ralado
1 ½ colher (sopa) garam masala
1 ½ colher (chá) chili em pó - essas medidas podem ser exageradas para algumas pessoas
½ colher (chá) pimenta cayena
1 lata tomates pelados
pitada de açúcar
1 xícara creme de leite

Misture todos os ingredientes da marinada. Numa tigela grande coloque os pedaços de frango, junte a mistura e mexa bem. Deixe na geladeira por uma noite. No dia seguinte, raspe bem o frango para tirar o excesso de iogurte. Coloque o frango numa assadeira e leve ao forno por 12min, ou até assar. Corte em pedaços de 5cm e reserve.
Numa frigideira coloque as amêndoas com um fiozinho de óleo. Toste levemente, em seguida triture num processador e reserve.
Numa panela grande coloque 1 colher (sopa) óleo, cebola, alho e gengibre. Refogue em fogo baixo, até a cebola ficar macia, cerca de 8min. Adicione o masala, chili em pó, pimenta cayena e mexa bem por 1 min. Adicione a lata de tomates, pitada de açúcar, cubra e deixe cozinhar por 20min, até o molho engrossar. Em seguida adicione o creme de leite, amêndoas, cozinhe por mais 10min. Coloque o frango e deixe no fogo por 10min. Finalmente sirva com arroz basmati.

1.9.11

bolo, mais simples impossível


Estava há várias semanas querendo comer um bolo bem simples, aquele "bolo de nada". Comecei a procurar em alguns livros, nos meus cadernos de receita (qualquer dia mostro meus caderninhos aqui) e nenhum parecia agradar, eram elaborados demais, aromatizados demais. Até que peguei este livro - e tem bolos ótimos - li o título: butter cake, só isso. Era o bolo que queria comer, sem nenhum retoque. Não precisava, mas fiz um glacê com limão-cravo que peguei do pé na casa dos meus sogros, os limões estavam tão suculentos e perfumados que mereciam estar no topo do bolo ;)

125g manteiga, bem amolecida (usei 90g)
1 colher (chá) baunilha
1 xícara açúcar
3 ovos
1½ xícara farinha de trigo, peneirada
½ colher (chá) fermento em pó, peneirado
¼ colher (chá) bicarbonato de sódio, peneirado
½ xícara leite

glacê:
1 xícara açúcar de confeiteiro
suco de limão

Pré-aqueça o forno a 150ºC. Unte uma forma redonda de 20cm, forre o fundo e as laterais com papel manteiga. Coloque a manteiga, baunilha, açúcar, ovos, farinha, fermento, bicarbonato e leite na batedeira e bata em velocidade baixa até todos os ingredientes se misturarem. Aumente a velocidade e bata até a mistura ficar bem homogênea, cerca de 3min. Coloque a massa na forma preparada e leve ao forno por 1h05min, ou até um palito sair seco. No meu forno assou em 50min a 160ºC.
Para o glacê, coloque o açúcar de confeiteiro numa tigela e vá misturando o suco de limão aos pouquinhos, até ficar com uma consistência cremosa. Derrame sobre o bolo.

30.8.11

brownie de nutella


Não sei dizer o que mais me atraiu nesta receita, se era o fato de ser brownie, ser de nutella, levar apenas quatro ingredientes, render um bolinho pequeno... ou todas as anteriores. A maior dificuldade aqui foi reservar um pote de nutella só para os brownies, porque eu compro bem de vez em quando e o negócio acaba num piscar de olhos. Tão rápido quanto acabou estes brownies, que eu só comi um pedaço, depois nunca mais vi... Receitinha achei aqui.

1 pote de Nutella (180g)
1 ovo
50g farinha de trigo
50g avelãs, tostadas

Misture nutella com o ovo, batendo até ficar homogêneo. Coloque a farinha e misture somente até ficar incorporada à massa. Por fim, adicione as avelãs, já tostadas, sem pele e cortadas ao meio. Coloque numa forma pequena (usei uma de bolo inglês de 18x7cm), untada, forrada com papel manteiga (deixe sobras do papel, para formar alças no momento de desenformar) e untada novamente. Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC, por 25min - tempo que levou no meu forno - ou até que um palito saia ligeiramente molhado quando inserido no centro da forma. Deixe esfriar completamente antes de desenformar.

25.8.11

torta de abobrinha, tomate e ricota


Bem que eu tentei fazer tortas com mais frequência, só que eu ando muito preguiçosa para cozinhar. Há fases de preguiça mesmo, eu aproveito ao máximo e só tomo cuidado para não comer muita besteira por conta disso. Aí parece que "magicamente" a preguiça foi embora e sem fome o suficiente para esperar esta torta ficar pronta e decidi preparar. Desde que vi a torta fiquei com vontade. E como estava bem inspirada, a ricota usada foi caseira, receita da Pat - fiz no mesmo dia pela manhã - e decidi que ricota comprada no mercado nunca mais! A torta é ótima, e como não tinha forma no tamanho pedido (10cm) fiz numa forma maior, de 20cm, e precisei aumentar um tiquinho a quantidade de massa.

massa:
½ xícara + 2 colheres (sopa) farinha de trigo
1 ½ colher (chá) açúcar
¼ colher (chá) sal
4 colheres (sopa) manteiga, gelada e cortada em cubinhos
1-2 colheres (sopa) água gelada

recheio: 
9 tomatinhos cereja
½ abobrinha pequena (usei a italiana)
2 colheres (sopa) azeite
1 dente de alho, picadinho
¼ xícara ricota 
2 colheres (sopa) mussarela ralada
1 colher (sopa) manjericão picado (usei salsinha fresca)

Comece pela massa. Coloque no processador a farinha, açúcar e sal, pulse para misturar. Adicione a manteiga picada e pulse até formar uma farofa úmida. Aos poucos coloque a água gelada, e processe até formar uma massa homogênea. Retire a massa do processador e amasse algumas vezes. Unte duas forminhas para torta de 10cm cada (usei uma forma de 20cm com fundo removível), e forre com a massa - aqui achei mais prático abrir com rolo. Leve à geladeira por 30min. Aqueça o forno em 180°C. Retire a massa da geladeira, unte com manteiga uma folha de papel alumínio e coloque o lado untado sobre a massa, por cima jogue feijões crus para fazer peso (tenho sempre um tanto de feijões para este fim, depois de frios, guardo num vidro e reutilizo na próxima torta). Leve ao forno por 35-45min, ou até dourar levemente, então retire o papel alumínio com os feijões, e deixe a massa dourar mais, cerca de 5-10min. Deixe esfriar completamente sobre uma gradinha. Enquanto isso, prepare o recheio.
Numa tigelinha coloque 1 colher de sopa de azeite e o alho picadinho. Misture e reserve. Numa outra tigela coloque a ricota, mussarela, 1 colher de sopa de azeite, tempere com sal e pimenta a gosto. Corte a abobrinha no sentido do comprimento e corte em fatias finas. Deixe secar sobre papel tolha. Corte em fatias os tomatinhos e também coloque sobre o papel toalha. Quando a massa estiver fria, espalhe a mistura de ricota. Arrume as fatias de abobrinha e tomate, intercalando ambas. Por cima espalhe o azeite com alho, por fim, salpique o manjericão picado. Retorne ao forno pre-aquecido a 200°C, deixe assar por 20-25min, ou até que o queijo esteja borbulhando. Coloque numa gradinha, deixe esfriar por uns 20min antes de servir.

11.8.11

creme com maçã e cardamomo


Todo mundo sabe que comida carrega uma grande força afetiva, cria e resgata memórias. E ultimamente ando bem saudosa da minha infância, desde que perdi meu pai comecei a sentir uma saudade absurda dos meus tempos de menina. Algumas coisas têm o poder de catalisar essas memórias, como essa música e creme de confeiteiro! É indescritível como eu viajo 25 anos no tempo quando dou uma lambida na colher de pau antes de colocar tudo na pia para lavar. Não parece que eu sou a "mulher-feita" que preparou seu crème pâtissière usando pasta de baunilha, mas sim a pirralha que rondava a cozinha e metia a colher no creme que esfriava em cima da mesa e saía de fininho com medo de levar bronca da mãe...
Fiz esta receita começando pelo creme que me trouxe todas essas lembranças, e a combinação toda funciona muito bem, as maçãs, o crumble com cardamomo. Acredito que com bananas pode ficar muito bom, a saber. A receita tirei de uma revista Cláudia, daquele suplemento que vem junto, e eu não lembro o nome porque só recortei e joguei fora :S

creme de confeiteiro:
2 xícaras leite
½ xícara açúcar
2 ½ colheres (sopa) farinha de trigo
pitada de sal
2 gemas
1 colher (chá) baunilha (usei pasta)

crumble:
¾ xícara farinha de trigo
1/3 xícara açúcar
1/3 xícara manteiga, gelada
½ colher (chá) cardamomo em pó

2 maçãs Gala pequenas, sem sementes, com casca, cortadas em fatias finas


Comece pelo creme de confeiteiro. Numa panela leve para aquecer o leite, até levantar fervura. Numa tigela misture o açúcar, farinha e sal. Quando o leite aquecer, despeje aos poucos sobre a tigela com o açúcar, e misture bem, até ficar diluído. Volte tudo para a panela e adicione as gemas - se preferir, passe-as pela peneira antes de colocar na panela - mexa constantemente, sem deixar ferver, por dez minutos, ou até o creme engrossar. Desligue, coloque numa tigela para esfriar. Se não quiser que forme a película por cima, cubra com filme plástico grudadinho no creme.
Para fazer o crumble, misture todos os ingredientes, usando as pontas dos dedos - ou um garfo - até formar uma farofa úmida.
Distribua o creme em potinhos que possam ir ao forno. Mergulhe as fatias de maçãs, deixando o lado da casca para cima. Por fim, coloque a farofinha. Leve ao forno pré-aquecido a 200ºC, por 20min, ou até dourar a farofa. Sirva morno.

9.8.11

pão de leite


Eu não sou muito coerente com pães, há épocas que nem lembro da existência deles, e passo bons meses sem  morder um pãozinho. Outras épocas eu compro de monte, bem mais que o necessário, porque eu quero comer pão em todas as refeições. E também há momentos que eu só quero pães caseiros, mais densos, mais saborosos e infelizmente mais perecíveis - não dá pra ter tudo nessa vida. Marido adora pão de leite, eu não ligava muito e aí passei a comer junto, peguei gosto, e resolvi tentar alguma versão caseira para alternar entre os pães branco e integral que sempre faço. Amei esta receita, a massa é bem leve para sovar e depois de assado desmancha na hora de partir. Mais um pão para a lista! Receita daqui.

250ml leite morno
3 colheres (sopa) açúcar
7g fermento biológico seco
2 colheres (sopa) manteiga, derretida
1 ovo
½ colher (sopa) sal
500g farinha de trigo (quantidade aproximada)
1 gema, para pincelar

Numa tigela grade misture o leite, açúcar e fermento. Em seguida adicione a manteiga, ovo e sal, misture novamente. Aos poucos coloque a farinha de trigo, até desgrudar das mãos, mas não coloque em excesso pois o pão ficará duro. Despeje a massa numa superfície enfarihada e sove a massa por uns 10min. Coloque a massa de volta na tigela, cubra e coloque num lugar morno e sem vento (eu deixo dentro do microondas) por 1h, ou até dobrar de tamanho. Coloque a massa novamente na superfície enfarinhada e retire o ar da massa. Abra a massa formando um retângulo e em seguida enrole feito um rocambole, coloque numa forma untada com manteiga (usei uma forma de bolo inglês de 23cm) e volte para o lugar morno por mais 30min. Neste tempo, pré-aqueça o forno a 220C. Pincele com a gema o topo da massa e leve ao forno por 40min, ou até ficar dourado. Deixe esfriar completamente antes de embalar.

4.8.11

pudim de tangerina


Eu tenho certeza que o melhor jeito de comer mexirica é me sentar calmamente, descascar a fruta, destacar os gominhos e pacientemente tirar todos os fiapinhos, dar uma mordida, tirar as sementes e finalmente comer tudo. Sim, eu faço todo esse ritual frescura para comer uma única fruta, e mexirica está entre as minhas favoritas. Mas é sempre bom experimentar variações do que já é bom, e assim fiquei com vontade de preparar este pudim. É bem parecido com este, a única troca foi limão por tangerina. Vi no programa do Bill Granger e a receita estava anotada há tempos. Não me lembrava se no programa foi assada em banho-maria, fiquei com receio de queimar embaixo, então na dúvida coloquei água fervente na assadeira. 

4 ovos, separados
3 colheres (sopa) farinha de trigo
suco de 1 tangerina e raspas de 2
100g açúcar
2 colheres (sopa) manteiga, derretida
100ml leite

Bata as claras em neve em picos firmes e reserve. Numa tigela misture as gemas, farinha (já peneirada) suco e raspas da tangerina, misture bem com fouet e em seguida acrescente o açúcar. Numa tigela pequena, misture a manteiga + leite, e adicione à mistura das gemas, mexa bem. Delicadamente, coloque as claras em neve na tigela, e incorpore, sem bater. Distribua em potinhos untados, que possam ser levados ao forno. Coloque os potinhos numa assadeira alta, despeje água fervente até metade da assadeira e leve ao forno pré-aquecido a 180ºC por 15min. Retire da assadeira e deixe esfriar. Sirva com chantilly.
Fiz meia receita acima, usei o suco de 1 tangerina porque era pequena, e obtive 3 xícaras de pudim.

2.8.11

cookies de melado e gengibre


Desde que o PC deu problema perdi todos meus favoritos nele, decidi usar algo mais seguro, então passei a guardar receitas no Delicious. Às vezes eu gosto de olhar outros delicious, um pouco por curiosidade e um tanto para encontrar coisas interessantes. Foi assim que me deparei com a receita desses cookies e meu primeiro pensamento foi: isso deve ter gosto de inverno. Pensa bem, limão, gengibre, melado e canela tudo quentinho com uma xícara de chá é a cara desse tempinho frio! E estava certa, ficaram tão bons que só me arrependi de ter feito meia receita :)

¾ xícara manteiga, temperatura ambiente
1 xícara açúcar mascavo
1 ovo
½ xícara melado de cana
1 colher (sopa) gengibre fresco ralado
1 colher (sopa) raspas de limão
2 ½ xícaras de farinha de trigo
1 colher (chá) canela em pó
1 colher (chá) bicarbonato de sódio
pitada de sal



Na batedeira coloque a manteiga e açúcar mascavo, bata até ficar macio. Adicione o ovo, melado, gengibre e raspas de limão, e bata até ficar homogêneo. Numa tigela coloque a farinha, canela, bicarbonato e sal. Aos poucos coloque na batedeira a mistura de farinha, bata somente para incorporar. Faça bolinhas com a massa (pesei bolinhas de 35g cada), achate levemente e coloque em assadeira forrada com papel manteiga, deixando uns 3cm de espaço entre elas. Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC e asse por 10-15min, ou  até ficar firme e dourado, não esqueça de virar a assadeira na metade do tempo. Deixe esfriar numa gradinha antes de guardar.
rendimento: 30 cookies, fiz meia receita e consegui 11.

28.7.11

lasanha de salmão


Passei muitos anos sem gostar de lasanha. Havia algo nelas que fazia com que comesse um pedacinho minúsculo, achar blé e deixar quase tudo no prato. Depois que casei, marido pedia para eu fazer de vez em quando, e preparava mesmo sem gostar muito. Até que um dia não queria sair para comprar a massa - e jogar no lixo boa parte do pacote - resolvi fazer massa caseira, seria bem fácil, já que não precisaria cortar fininho. Um novo mundo de lasanhas se abriu diante do meu paladar! Anos para descobrir que meu problema era com a massa que caía como uma bomba no meu estômago, muito diferente da massa caseira. E o melhor: uma única porção de massa é suficiente para alimentar duas pessoas por mais de uma refeição. Vi uma caixa de lasanha de salmão congelada no mercado, achei que ficaria bom fazer uma versão caseira dela, o queijo emmental funcionou muito bem. Rende bem, preparei para o almoço, sobrou horrores, repetimos no jantar e me pareceu bem melhor depois de algumas horas.

massa:
100g farinha de trigo
pitada de sal
1 ovo

molho branco:
750ml leite (usei semidesnatado)
2 colheres (sopa) manteiga
3 colheres (sopa) farinha de trigo
1 cebola pequena, picada
noz-moscada, pimenta-do-reino e sal

500g filé de salmão
sal e pimenta a gosto
150g queijo emmental, lascado
parmesão ralado na hora

Comece pela massa. Numa tigela coloque a farinha e sal. Coloque o ovo e com um garfo vá misturando, quando não conseguir mais misturar com o garfo, despeje a mistura sobre uma superfície e sove até formar uma massa homogênea - dependendo do tamanho no ovo, ainda sobrará farinha, não se preocupe. Coloque a bola de massa na tigela, cubra e deixe descansar por pelo menos 40min. Abra a massa sobre uma superfície seca (se tiver o cilindro para massa, melhor ainda!) com um rolo até ficar bem fininho, tente dar a forma de um retângulo, e corte em quadrados de aproxidamente 10cm. Deixe a massa secando por mais 1h. Ferva bastante água, com um pouco de sal, e coloque os pedaços de massa, deixe cozinhar por 3-4min, retire da água e seque sobre um papel toalha. Reserve.
Prepare o molho. Numa panela coloque a cebola e manteiga e deixe cozinhar em fogo brando até a cebola ficar transparente, acrescente a farinha mexa por 3min. Despeje o leite, em seguida sal, pimenta e noz-moscada, mexa de vez em quando até começar a engrossar, depois mexa constantemente até formar um mingau grosso. Desligue e reserve.
Tempere o salmão com sal e pimenta e coloque numa frigideira com um pouco de óleo para grelhar, até ficar cozido. Cuidado para não cozer demais e ficar ressecado, pois o peixe ainda passará mais um tempinho no forno. Desfie com um garfo.
Para a montagem - usei um refratário pequeno - faça uma camada de molho, lascas do salmão, massa e emmental, até encher todo o refratário e por cima coloque o parmesão. Leve ao forno aquecido a 200ºC por uns 30min, ou até gratinar por cima.