quinta-feira, 25 de setembro de 2014

salada caeser


Aqui perto de casa tem uma lanchonete - dessas hamburguerias tradicionais - que salva jantares quando estou muito cansada (um dos efeitos colaterais dos meus remédios é fadiga, não acontece todos os dias, felizmente). Semanas atrás troquei o acompanhamento de batata para esta salada, achava que era coisa mixa, queijo ralado de saquinho, nada disso, era deliciosa e tinha tudo o que deveria ter. Pronto, foi o suficiente para querer preparar, esperar o dia de sacolão e trazer cinco pés de alface para casa, de vários tipos. Quando fui procurar receitas do molho, todas apontavam para ovos crus, fiquei meio assim de preparar um molho cuja base é ovo cru. Pego umas colheradas de massa de bolo raspada da tigela sem medo de ser feliz, mas o molho todo me parecia demais. Bom, fiz o molho, peguei os ovos mais frescos que tinha - compro sempre de meia dúzia cada vez - e ninguém aqui em casa pegou salmonella e aproveitamos uma ótima salada. Receita do Emeril, que eu coloquei menos azeite, achei que era demais.

molho:
1 ovo
3-4 filés de anchova, picadinhas
2 dentes de alho
2 colheres (sopa) sumo de limão
1½ colher (chá) sementes de mostarda
¾ xícara azeite
½ xícara azeite extra-virgem
¾ xícara queijo parmesão ralado
gotinhas de Tabasco
½ colher (chá) molho inglês
pimenta-do-reino
alface
croutons*

Coloque o ovo, anchovas, alho, limão e mostarda no processador, e deixe ligado por 1min (ou mais, para o molho ficar mais espesso), enquanto o processador estiver ligado, coloque o azeite lentamente, até ficar completamente incorporado e homogêneo. Desligue o processador e coloque ¼ xícara do queijo, Tabasco, molho inglês, sal e pimenta. Transfira para uma tigela. Na geladeira, tampado, o molho dura cerca de 1 semana.
Numa tigela coloque a alface, o queijo restante, um poquinho de sal e pimenta, e os croutons, misture e coloque o molho. Sirva imediatamente.
*Para fazer croutons eu uso pão de forma cortado em cubinhos. E também um molho com óleo vegetal, orégano seco e Tabasco. Coloco os cubinho de pão numa forma retangular, espalho o molho, mexo tudo com uma espátula de silicone, e se ainda estiver muito seco, rego com azeite. Levo ao forno até dourar e ficar crocante.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

mais uma sopa de brócolis


O inverno acabou e já estamos com um pezinho na primavera, por isso, com este post encerro a temporada de sopas na minha cozinha e no blog. Fiquei com mania de brócolis nos últimos meses, colocava em quase tudo que preparava, descobri duas receitas ótimas, esta e aquela outra. Fico até feliz que o inverno foi embora, anos atrás adorava o frio, quanto mais frio, melhor. Agora não mais, fico até animada com um dia mais quente, deve ser a idade chegando - e ando me sentindo super velha ultimamente, mas este é assunto para um outro post, ou não.
Receita do desse livro aqui.

2 colheres (sopa) azeite ou manteiga
1 cebola grande picada
1 talo de brócolis (em SP chamamos de japonês/ninja, parece couve-flor verde)
2 dentes de alho, picados
½ xícara vinho branco seco
3 xícaras caldo de legumes (usei água)
1 xícara creme de leite
sal e pimenta a gosto

Coloque o azeite numa panela funda e deixe esquentar bem, então adicione a cebola, brócolis, alho e uma boa pitada de sal, e adicione pimenta. Cozinhe até a cebola ficar macia, mais ou menos 5-10min. Adicione o vinho branco e cozinhe por mais 1min, em seguida coloque o caldo de legumes e cozinhe por mais 10-15min, ou até o brócolis ficar bem macio. Use um mixer (ou liquidificador) até ficar uma mistura homogênea. Adicione o creme de leite, e misture bem.


quinta-feira, 18 de setembro de 2014

crumble de maçã e coco


Apesar do crumble de morango ser meu preferido, eu faço mais de maçãs, talvez porque elas sejam onipresentes em casa, como já falei antes. Mas agora a Clara, e seus gloriosos 6 dentinhos, consegue morder pedaços pequenos de maçã sozinha, o que já é motivo de alegria e orgulho ver meu bichinho crescendo - antes eu cozinhava várias maçãs no vapor e fazia purê, porque sou bem incompetente na arte de raspar com a colher - então a fruta agora tem rotatividade. Bom, eu precisei abrir exceção para este crumble, porque a combinação com coco me deixou curiosa e tinha um bom tanto de coco fresco na geladeira e ele estraga rápido demais! O aspecto não ficou dos melhores, mas é muito saboroso e crocante. Receita deste livro.

1colher (sopa) manteiga amolecida, para untar o refratário
100g manteiga, cortada em cubinhos
90g açúcar
1 colher (chá) baunilha
80g farinha de trigo, ou um pouquinho mais
60g coco ralado
4-6 maçãs médias (ou peras)

Pré-aqueça o forno a 225ºC. Unte um refratário com a manteiga. Numa tigela coloque a manteiga, açúcar, baunilha, farinha e coco e esfregue tudo com as pontas dos dedos, até formar uma farofa. Reserve. Descasque e corte as maçãs em fatias e disponha sobre o refratário, Espalhe a farofinha do crumble por cima e leve ao forno por 25-30min, ou até ficar dourado.
*Eu preferi cortar as maçãs em fatias finas e assar tudo junto com a farofinha. No livro a indicação é fazer somente uma camada de frutas e levar ao forno por 10min, e depois colocar a cobertura e finalmente levar ao forno por maia 25min.


quinta-feira, 11 de setembro de 2014

bolo de banana, coco e cereja seca


Sempre tive dificuldade em eleger preferidos: música, banda, comida, filme, livro, série... isso depende do humor, da minha fase na vida, no dia. Mas já consigo eleger alguns favoritos, James é minha banda de coração, ouço desde a adolescência, e passei a última década ouvindo direto, gostando cada vez mais, desabei pro Chile só para vê-los tocar, depois eles vieram aqui, do lado de casa, tocar no Cine Jóia, morri quando soube que eles estavam no Peru e não teria turnê sul-americana. James é uma espécie de The Smiths que deu certo, com certeza fãs do Morrissey irão discordar, mas desculpa, eu só tenho respeito pelo Johnny Marr.
Também consegui eleger Crime e Castigo como meu livro preferido, já li e reli umas 4 ou 5 vezes, não tenho certeza. Leitura é como uma viagem, na primeira vez a gente quer chegar logo ao destino, mas uma vez o destino já conhecido, podemos apreciar o viajar, olhar a paisagem, e a cada nova viagem mais detalhes que estavam o tempo todo lá são percebidos. Por isso que eu gosto muito de reler textos que já conheço, como música, que ouvimos repetidas vezes.
Agora, no quesito bolo/muffin de banana, ainda não posso apontar meu favorito, por isso vivo experimentando novas receitas - tenho mais umas 3 na fila para testar. Esta receita é da Nigella, gostei da adição de cereja seca, fica um azedinho bom na massa úmida. É  a terceira vez que preparo, é um bolo meio chato de assar, o palito seco engana, na segunda vez o bolo foi afundando depois que tirei do forno e descobri que ficou cru no meio. Desta vez ficou certinho (até na foto do livro ele está afundado), só não deu para mostrar porque o marido levou pro escritório e salvei estas fatias para mim :)

9 colheres (sopa) manteiga derretida
4 bananas amassadas (cerca de meio quilo medido com casca)
¾ xícara (chá) açúcar 
1 xícara + 2 colheres (sopa) farinha de trigo
2 colheres (chá) fermento em pó
½ colher (chá) bicarbonato de sódio
⅔ xícara cerejas secas
1 xícara coco ralado (usei coco flocado)

Pré-aqueça do forno a 160ºC. Unte uma forma retangular (23x10cm), forre com papel manteiga o fundo e enfarinhe as laterais. Amasse as bananas e reserve. Numa tigela coloque a manteiga derretida e o açúcar, misture bem, adicione a banana e mexa. Em seguida coloque a farinha, fermento e bicarbonato, mexa. Por fim, misture as cerejas e coco ralado. Coloque na forma e nivele a massa. Asse por 50min, ou mais. Se certifique que está completamente assado no meio da forma.