domingo, 26 de abril de 2015

bolinhos de abobrinha e quinua


Eu odeio mudanças, não nasci pra isso! Gosto de rotina, fazer as mesmas coisas, guardas as coisas nos mesmos lugares, frequentar os mesmos lugares. À noite eu coloco a TV na Warner para ver as reprises das mesmas séries porque isso, e mais tudo o que mencionei antes, me trazem conforto. Só abro exceção para cortes de cabelo, que aí eu gosto de experimentar cortes diferentes. Isso tudo pra dizer que vem outra mudança pela frente e eu já sofro horrores com isso. Daqui dois meses a Clara completa 2 anos, estamos na fase avançada de procurar escolinha... e meu bebê já está deixando de ser bebê... buáááá! Eu sei, é uma fase da vida, tudo passa. É que tudo foi muito difícil no começo, eu não ganhei de presente aquele arrebatador amor materno, com a depressão, e depois o diagnóstico de TAB, eu precisei arrancar a unha todo esse amor que sinto hoje, queria que o tempo voltasse para sentir tudo o que sinto agora desde o primeiro dia que tive a Clara nos braços. 
E essas mudanças passam pela alimentação, deixei de fazer papinhas do jeito que fazia desde quando ela tinha 6 meses, antes ela só "provava" nossa comida no jantar - no meu almoço ela já estava na soneca. Agora não tem mais comida diferenciada. Achava que seria mais difícil cozinhar com a restrição de leite, mas tem sido fácil, percebi que o marido não faz tanta questão de queijo e manteiga, e aí eu coloco estas coisas só no meu prato. Nos almoços tenho procurado coisas mais variadas, a.k.a. coisas que o marido não comeria se servisse pra ele, e vou usando e abusando do bom apetite da Clara, até quando isso durar. Exemplo desses bolinhos, preciso usar logo todo o restante de farinha de quinua e gostei da combinação com abobrinha, e é todo temperadinho. Só achei que demorou demais para cozinhar, deixava 2-3min de cada lado e ainda alguns ficaram meio crus no meio, mesmo deixando os bolinhos bem achatados. Quando fizer novamente vou deixar mais tempo, ou terminar de cozinhar no forno. Receita daqui.

2 abobrinhas 
½ colher (chá) sal
2 cebolinhas, picadsa
1 dente de alho, espremido
1 colher (chá) raspas de limão
¼ xícara salsinha, picada
½ colher (chá) dill seco
¼ xícara farinha de quinua
1 colher (sopa) farinha de linhaça 
sal, pimenta
óleo para fritar

Passe as abobrinhas pelo ralo grosso, coloque numa tigela grande, adicione o sal, misture bem e deixe por 10-15min. Passado o tempo, usando folhas de papel toalha, retire o máximo do excesso de líquido que a abobrinha soltar. Junte os demais ingredientes e misture bem. Aqueça o óleo numa frigideira e coloque porções de massa - eu uso uma xícara medidora de ¼ de xícara. Frite por 2-5min de cada lado. Passe para um prato forrado com papel toalha para absorver o excesso de óleo.
rendeu: 6

quinta-feira, 23 de abril de 2015

bolachas de amêndoa, coco e sementes de cacau (sem lactose)


Outro dia fiquei na dúvida se colocava este livro na minha lista de desejos, e fiquei fuçando o índice para ver o que me chamava atenção, pouca coisa despertou minha curiosidade, entre elas a receita dessas bolachinhas. Tinha um pouco de farinha de amêndoas na geladeira, aquelas sementes de cacau que não acabam nunca, além dos demais ingredientes. E saí procurando se algum blog reproduziu a receita e achei alguns, entre eles este aqui, cujas fotos me agradaram bastante. Na hora de medir a farinha de amêndoa descobri que faltaria ¼ de xícara e completei com farinha de coco, acho que isto deu um toque mais bronzeado às bolachas. Em outro blog que entrei a semente de cacau foi substituída por chocolate meio amargo picado, fica a sugestão. Mas do que eu mais gostei nessa bolachinha foi o interesse da Clara em devorar as ditas, ela me pedia e logo depois vinha me pedir outra, até saía procurando para ver se ela tinha largado pela casa, mas já estava na pancinha :)

1 xícara farinha de amêndoa
¼ xícara farinha de coco
¼ xícara sementes de cacau
½ xícara coco ralado
½ colher (chá) fermento em pó
pitada de sal
xícara açúcar mascavo
1 ovo
3 colheres (sopa) óleo de coco

Numa tigela média coloque as farinhas, semente de cacau, coco, fermento, sal e açúcar, misture. Numa tigelinha bata o ovo, com um garfo, até dobrar de volume, e coloque na mistura seca. Em seguida adicione o óleo de coco, misture tudo até combinar e formar uma massa. Cubra e leve à geladeira por 30 min, ou até por uma noite. Pré-aqueça o forno a 180ºC, faça bolotas com a massa e depois achate, coloque em forma forrada com papel manteiga, e coloque as bolotinhas distantes uns 5 cm umas das outras. Leve para assar por 10-13min, ou até dourar nas bordas.
rendeu: 12

quinta-feira, 16 de abril de 2015

eggnog


Sempre achei que eggnog - aquela bebida que os norte-americanos bebem em datas festivas - fosse apenas uma gemada líquida alcoólica. É que as gemadas que minha mãe fazia eram apenas gema e açúcar, às vezes tinha um pouquinho de achocolatado, e era gema crua, mesmo. Bom, nunca dei bola pra eggnog até ver as gemas sobrando do bolinho do post anterior, não queria jogar fora, não queria fazer nada complicado, nem nada que levasse muitos ingredientes, e achei que seria uma boa ideia, mas não coloquei nada da álcool. Para quem está habituado a fazer custard, eggnog nada mais é que uma custard mais ralinha, e com as especiarias lembra o sabor da mistura do arroz doce - sem o arroz :)
Achei aqui.

2 xícaras leite
pitada de canela
2 cravos da Índia
4 gemas
½ xícara açúcar
1 xícara creme de leite
1 colher (chá) baunilha
pitada de noz-moscada, ralada na hora

Numa leiteira coloque para aquecer o leite, canela e cravo, deixe bem quente, mas sem ferver. Numa tigela coloque as gemas, bata um pouco com um fouet e adicione o açúcar, bata até ficar um creme claro e fofo. Quando o leite estiver quente despeje aos pouquinhos sobre a tigela das gemas, mexendo sem parar, até despejar todo o leite. Volte a mistura para a leiteira, deixe o fogo baixo, e vá mexendo até a mistura engrossar um pouco. Não deixe a mistura ferver pois vai talhar (se isso acontecer, passe por um mixer ou liquidificador). Retire do fogo, adicione o creme de leite, deixe esfriar por 1 hora, coloque a baunilha, noz-moscada e leve à geladeira.

terça-feira, 14 de abril de 2015

bolinhos de coco, maracujá e amaranto


Lembro quando falei neste post que estava interessada em utilizar outros tipos de grãos, farinhas, mas aqui as coisas acontecem bem devagar. Eu olho os livros, compro os ingredientes e as coisas ficam rolando só na minha cabeça. Com estes bolinhos não foi diferente, comprei maracujás meio verdes pra esperar propositadamente eles amadurecerem com o passar dos dias e satisfazer meu lado procrastinador, até que esperei demais e um deles estragou :( Daí virou um caso de urgência, e meu maior dilema foi saber o quê fazer com as gemas restantes, não queria nada complicado e eggnog foi a resposta. Receita daqui.

2¼ xícaras açúcar de confeiteiro, peneirado
½ xicara farinha de amaranto
½ colher (chá) fermento em pó
1 xícara farinha de amêndoas
½ xícara coco ralado
6 claras, levemente batidas
½ xícara manteiga, derretida e fria
1 colher (chá) raspas de limão
¼ xícara polpa de maracujá

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Embrulhe com papel manteiga 12 forminhas de muffin. Peneire o açúcar, amaranto e fermento numa tigela grande, misture a farinha de amêndoas e o coco ralado. Adicione as claras, manteiga, raspas, polpa de maracujá e mexa bem até ficar homogêneo. Divida a massa entre as forminhas. Leve ao forno e asse por 20min ou até dourar e o palito sair com umas migalhas quando espetado no centro da forminha. Retire do forno e deixe esfriar numa gradinha por uns 5 min. Depois de frio sirva com um pouquinho de açúcar de confeiteiro peneirado por cima.