segunda-feira, 21 de julho de 2014

granola de cereja seca e amendoim


Fazia muito tempo que não preparava granola - nem comprava pronta - fiquei nesta de ovomaltine e não quis mais experimentar outra. Até que me empolguei e comprei um pacote grandinho de cereja seca, vi no Sam's Club e se não levasse já sabia que ficaria arrependida, e já estou botando em prática minha resolução de voltar a comer mais comida caseira (tenho conseguido, por enquanto até mais fácil que esperava, e com pratos ainda mais simples do que fazia antes), deixando delivery para emergências, ou pura indulgência, e não prática corrente. Esta granola me pareceu com jeito de inverno, cheia de especiarias, adaptei poucas coisas. Rende muito, fiz meia receita e já achei um exagero, aqui transcrevo as medidas da meia receita. Veio do The Sweet Melissa Baking Book.

2½ xícaras aveia em flocos
1½ xícara flocos de centeio (usei de cevada também)
¼ xícara sementes de girassol
¼ xícara linhaça
½ xícara sementes de abóbora sem sal
½ xícara amendoim cru
¼ xícara leite em pó
¼ xícara óleo vegetal
¼ xícara mel
¼ xícara melado de cana
½ colher (chá) canela
¼ colher (chá) noz-moscada
¼  colher (chá) cravo em pó
¼  colher (chá) gengibre em pó
¼ colher (chá) pimenta-da-jamaica
½ xícara uva-passa (usei da branca)
½ xícara cereja seca
½ xícara cranberry seca

Misture, nunca tigela grande, a aveia, flocos, sementes e leite em pó. Numa panelinha coloque o óleo, mel, melado e as especiarias, leve ao fogo e deixe ferver por uns 3min. Despeje esta calda quente sobre a mistura de grãos, misture bem, até que tudo esteja envolvido pela calda. Espalhe sobre uma assadeira grande, forrada com papel manteiga, ou duas assadeiras, não deixe a mistura muito alta, senão ficará difícil mexer. Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC, mexendo a cada 15min, por 1h30 a 2h, ou tudo ficar dourado e com aspecto mais seco. Recoloque a mistura na tigela e adicione a uva-passa, cereja e cranberry, misture bem e guarde em pote hermético.


segunda-feira, 14 de julho de 2014

muffins de laranja e chocolate branco


Aêêê! Copa do mundo já é assunto de ontem, e podemos voltar à cozinha e aos outros assuntos. Adorei estes muffins, ficaram com cor de verão para mim, talvez pelos elementos amarelos da farinha de milho, laranja. Ficaram muito saborosos e úmidos, e até meu marido que não é muito chegado aos muffins comeu sem que eu precisasse insistir oferecer, mas isso não impediu que metade da fornada fosse parar no freezer para algumas "emergências" no lanche vespertino. Receita aqui.
E sei que não deu para ignorar completamente a final da Copa (estava no mercado com o Galvão Bueno berrando numa das tevês), acharia muito divertido se a Argentina ganhasse o campeonato aqui no Brasil, porque acho muito divertido pessoas que torcem demais pra qualquer esporte, ao invés de praticarem o esporte que gostam. Bom, eu adoro a Argentina pelas empanadas, alfajor e principalmente pelo Soda Stereo, que me deu uma das músicas favoritas da vida inteira, Musica Ligera


1⅔ xícara farinha de trigo
xícara fubá (usei sêmola de milho)
2 colheres (chá) fermento em pó
½ colher (chá) bicarbonato de sódio
¾ xícara açúcar
6 colheres (sopa) óleo vegetal
1 ovo
¾ xícara leite
1 laranja, raspas e suco
1 xícara chocolate branco picado, ou gotas

Numa tigela grande coloque a farinha, sêmola, fermento, bicarbonato e açúcar, misture. Em outra tigela coloque o óleo, ovo, leite, raspas e suco de laranja, misture bem. Coloque esta mistura na tigela da farinha, desta vez misture ligeiramente, até a farinha ser absorvida pelo liquido, não há problema se a massa ficar empelotada. Por fim, coloque as gotas de chocolate, misture para envolver, e coloque a massa nas forminhas. Leve ao forno pré-aquecido a 200ºC, por uns 20min, ou até ficar totalmente assado.
rende: 12 bolinhos

segunda-feira, 30 de junho de 2014

canapés para não torcer para a seleção...


... ou para torcer, se você quiser. Este último sábado tinha certeza que o jogo do time do Brezeel era às 17h, e precisávamos sair para resolver algumas coisas na rua antes que tudo fechasse, mas só achamos os lugares fechados, poucos carros nas ruas. Aí me dei conta do horário do jogo, e voltamos para casa. Nessas fico achando que São Paulo não é a megalópole de quase 11 milhões de pessoas que se orgulha de ser, e sim uma cidade de interior, dessas bem pequeninas que nada acontece. 
Nos outros jogos eu nem liguei a televisão, e nem soube o placar, mas este, que também não vi, estava bem aborrecida por ter meu dia atrapalhado porque as pessoas queriam assistir na televisão 22 caras muito, muito ricos correndo atrás da bola. Sim, eu só olho pro meu próprio rabo, e não sou rica como o Neymar.
Enquanto o jogo rolava, marido jogava videogame, nós ouvíamos a música, bebê engatinhava na velocidade 2 do créu, e eu preparava estes canapés. É algo que minha mãe preparava quando tinha visita em casa, é lembrança de infância, é rápido, baratinho, a gente sempre tem estes ingredientes em casa e sempre dá vontade de comer mais um.

Bom, não tem muita receita, é só cortar os pães de forma em 4. Misturar óleo vegetal (ou azeite), queijo ralado daqueles de pacotinho de 100g e orégano seco. Vá colocando um pouco de cada, até formar uma pastinha. Fica a seu critério que tenha mais orégano ou mais queijo. Passe em cada quadradinho de pão, coloque numa assadeira e leve ao forno pré- aquecido até dourar embaixo. Prontinho, mais fácil que o Neymar cair em campo.



quinta-feira, 26 de junho de 2014

pot pies de lentilhas e cogumelos


Durante esse tempo de tratamento psquiátrico tive que abrir mão de várias coisas, saber priorizar o que era importante. Por muitas vezes fiquei frustrada e com raiva por não conseguir "dar conta de tudo" - e como é opressiva esta expectativa, especialmente sobre as mulheres/mães, chega a ser cruel, perverso, mesmo - mas muitas se orgulham de serem multi-tarefas, quando são apenas burras de carga de salto alto e maquiagem.  Bem, voltando, obviamente a Clara era a prioridade, mesmo dividindo as tarefas com o marido. E uma das coisas que descuidei completamente foi da alimentação, comia qualquer sanduíche no almoço, e o jantar era sempre comida pronta, seja aqueles congelados horríveis, ou comida de entrega. Toda a compra de sacolão era destinada à alimentação da bebê, me sobravam algumas uvas. Além do impacto no orçamento, esse monte de comida "desconhecida" deu uma estragada no meu corpo, fiquei mais doente (eu que tenho sistema imunológico de vira-lata), ganhei muito peso - bem além do que é efeito colateral dos medicamentos, meus exames de sangue deixaram de ser nota dez. Decidi que era hora de voltar a cozinhar como de costume, mesmo que nem todos os dias consiga ter alguma comida decente na panela. Tenho muitas lentilhas por aqui, a Clara gosta quando coloco na sua papinha, e com os onipresentes cogumelos vi que esta receita parecia deliciosa, fiz um monte de adaptações, o link pra receita original está aqui, o topo com sabor de milho e queijo complementam muito bem. Delicioso e reconfortante.

(meia-receita com as minhas adaptações, rendeu 3 porções moderadas)

recheio
¼ xícara lentilha
2 colheres (sopa) azeite
150g cogumelos fatiados (usei paris)
1 cebola pequena, picada
½ cenoura, cortada em cubinhos
1 alho-poró, fatidado
1 punhado de salsinha picada
1 dente de alho esmagado
1 colher (sopa) farinha de trigo
½ batata-doce picada
1 colher (sopa) shoyu
¼ xícara vinho branco
pitada generosa de páprica defumada
1 colher (sopa) extrato de tomate

cobertura* (biscuit):
1 xícara farinha de trigo
6 colheres (sopa) sêmola de milho (pode substituir por fubá)
1¼ colher (chá) fermento em pó
½ colher (chá) sal
4 colheres (sopa) manteiga gelada, cortado em cubinhos
½ xícara iogurte natural (ou buttermilk, se preferir)
¾ xícara queijo ralado (usei gryuère, a receita pede gouda)

Cozinhe a lentilha em água e sal, quando estiver macia, desligue, escorra a água e reserve. Aqueça o azeite e adicione os cogumelos, cozinhe por uns 3min. Em seguida vá adicionando os outros ingredientes, a cenoura, alho-poró, salsinha e alho. Deixe cozinhar por mais alguns minutos. Coloque a farinha e mexa constatemente por 1min. Depois coloque a batata, shoyu, vinho, páprica e extrato de tomate. Acerte o sal e pimenta, deixe cozinhar. Reserve. Quando esfriar, coloque o recheio em potinhos que possam ir ao forno.

Para a cobertura, misture numa tigela a farinha, sêmola, fermento e sal, misture bem. Coloque a manteiga e misture bem com os dedos, para formar aquela farofinha, adicione o iogurte e misture até formar uma massa. Todos estes passos podem ser feitos no processador, dessa vez fiquei com preguiça de lavar depois.
Divida a massa em 4 porções, forme bolotas achatadas, vá achatando o máximo que conseguir, ou use um rolo (esqueci dessa!), e coloque sobre os potinhos, espalhe o queijo ralado. Leve ao forno por uns 30min em forno pré-aquecido a 200ºC.

*Para estas medidas aqui rendeu 3 porções, com a sobra da massa, misturei queijo e fiz biscoitinhos que ficaram ótimos para comer com sopa.