quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

batata rosti com cogumelos


A disposição para cozinhar deu um tempo por aqui. Entre final de dezembro e metade de janeiro produzi muita coisa (e tirei fotinhos para fazer posts). Teve o calor infernal do mês passado, tive algumas recaídas, que geralmente acontecem quando muda a dosagem de alguns remédios - às vezes muda de todos - acontecem coisas tão bizarras dentro da minha cabeça que realmente não entendo qual a graça de usar drogas. Enfim, quando tenho tempo pra cozinhar porque bebê dormiu, eu não quero fazer barulho, porque se tem uma coisa que eu já aprendi como mãe é que a soneca vespertina é sagrada! Aí quando ela dorme pra noite, eu só quero tomar meu banho e vegetar no sofá até o sono chegar. 
E às vezes me disponho a preparar um almoço mais caprichado, arrumar bonitinho no prato e tirar meia dúzia de fotos - não sou blogueira que come comida fria por fotos boas. Faz algumas semanas que o livro Eat, do Nigel Slater, chegou e achei o livro lindo, com várias ideias de substituições, sem uma receita fixa. Escolhi com cogumelos porque, bem, sempre há muitos cogumelos na geladeira aqui. E porque nunca comi batata rosti, muita preguiça de preparar, mas a versão dele parecia tão simples, rápida, enquanto fritava a batata, salteava os cogumelos, e geralmente não coloco creme, mas dessa vez resolvi experimentar, trocando crème fraîche por iogurte natural. E como não há uma receita exata, vou explicar mais ou menos como fiz, receita pra um que rendeu bastante.

batata rosti:
2 batatas pequenas
1 ovo, ligeiramente batido
2 a 3 colheres (sopa) farinha de trigo
um punhado de salsinha picada (ou tomilho fresco)
sal e pimenta-do-reino

Passe as batatas pelo ralo grosso, tempere com sal, pimenta e salsinha. Coloque o ovo batido e a farinha aos poucos, até sentir que deu liga, e que não vão desmanchar quando pegar com uma colher, formando panquequinhas. Derreta um pouco de manteiga numa frigideira, coloque as colheradas da massa de batata na frigideira, achate e frite até dourar, vire para fritar do outro lado também. Deixe sobre papel toalha.

Para os cogumelos, eu usei porto-belo, eram pequenos. Corte-os em fatias finas, coloque numa frigideira com um pouco de manteiga e um fiozinho de óleo, acerte o sal e pimenta. Eu usei mais um punhado de salsinha, e fritei até os cogumelos murcharem.
Monte o prato com a batata, cogumelo por cima e creme.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

bolo de iogurte com marzipã e papoulas


Essa coisa de tomar sol não é pra mim, detesto. Aquela expressão "vá pela sombra" eu levo ao pé da letra, ando na rua encostada nos muros para conseguir o máximo de sombra, e sempre que posso, evito sair de casa nos horários mais quentes e ensolarados. O resultado disso foi uma deficiência de vitamina D, e a recomendação médica de tomar sol diariamente (essa deficiência pode causar alguns distúrbios psquiátricos, e né, não preciso mais do que já tenho). Como estou levando meu tratamento com afinco, comecei a tomar sol - reclamo de precisar lagartear por aí. Quando dá tempo de manhã, dou umas voltas pelo condomínio com a Clara, mas geralmente só consigo um tempo quando ela dorme depois do almoço, aí faço a versão-apartamento de tomar sol na laje e vou pra sacada sentir minha pele arder. E pra espantar o tédio destes longos vinte minutos tostando minhas células, passo o tempo com o celular na mão, xeretando no facebook, passeando na hashtag #benedictcumberbatch do instagram (tenho 13 anos? sim ou com certeza?), e às vezes faço algo mais útil: procuro receitas. Encontrei esta quando procurava alguma coisa com marzipã e ainda teve o bônus das papoulas, que estão há um tempo guardadas, mas se não tiver nada disso, a receita base do bolo é ótima, bem úmida e facílima de fazer. Receita veio daqui e adaptei um pouco.

250ml iogurte natural
xícara óleo (usei de milho)
½ xícara açúcar
3 ovos extra-grandes (usei 4 médios)
2 xícaras farinha de trigo
2 colheres (chá) fermento em pó
5 colheres (sopa) sementes de papoulas
120g marzipã cortado em cubinhos

Pré-aqueça o forno a 180ºC, unte e enfarinha uma forma redonda de 20cm. Numa tigela grande misture o iogurte, óleo, açúcar e ovos - usar fouet facilita. Sobre esta tigela peneire a farinha e o fermento, em seguida adicione popoulas e marzipã. Misture bem, mas não bata demais.. Leve ao forno por uns 50min, ou até um palito sair seco. Espere esfriar para desenformar e espalhar o glacê.
Para o glacê não tem muito segredo, comecei com ½ xícara de açúcar de confeiteiro peneirado e algumas gotas de suco de limão, vá adicionando açúcar e suco de limão até atingir a consistência desejada, lembre-se de colocar um pouquinho de cada, sem pressa. 
Despeje a calda dobre o bolo.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

sorvete de limão siciliano (estilo filadélfia)


O assunto da moda é o calor intenso que faz por aqui. Eu não gosto de calor, me deixa mole, suada, com o desodorante vencido. Aí com este verão esquisito de altas temperaturas + ausência de chuva, descobri que está bem mais tolerável que imaginava. Claro que eu sinto calor, moleza, fico fedida - como todo mundo - mas a falta de variação térmica deixam as coisas bem mais suportáveis. Dizem que nos acostumamos a tudo, a coisas boas e ruins, então, me acostumei ao calor. Por isso até que demorei a preparar sobremesas refrescantes. Este sorvete veio da necessidade de usar alguns limões que comprei semanas atrás, é bem azedinho e delicioso. Tantinho adaptado daqui.

1 xícara açúcar
½ xícara suco de limão siciliano (usei 4 limões)
¼ xícara raspas de limão (usei 3)
2 xícaras creme de leite fresco

Numa tigela misture o açúcar e as raspas, esfregue bem com as pontas dos dedos, produzindo um açúcar aromático. Adicione o suco de limão e creme de leite. Misture bem, mexendo de vez em quando até o açúcar se dissolver completamente. Leve à geladeira por uma noite. Se desejar, retire as raspas de limão - eu tirei cerca de metade delas. Passe a mistura pela sorveteira, conforme instruções do fabricante e só.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

espaguete com alcachofras


Admito que fiquei em dúvida sobre a grafia correta do macarrão em questão aqui. Na embalagem constava spaghetti, o Houaiss (dicionário mais fofo do mundo!) me dizia espaguete, e ficamos por isso mesmo. Algumas palavras são difíceis de traduzir, outras me parecem só um estrangeirismo meio pedante, meio cafona.
Fato é que devagar estão voltando meus almoços solitários - prefiro comer longe da Clara, que já está desenvolvendo aquela cara de cachorro pidão para qualquer coisa que comemos. E aí posso escolher pratos que o marido não gosta, tipo alcachofra, que eu amo desde criança. Meus pais compravam uma vez por ano, um montão delas, e pra mim era quase uma festa o dia que minha mãe as preparava, eram recheadas e todos adorávamos. Boas lembranças. Aí ano passado descobri que tem coração de alcachofra congelado, é mais saboroso que aqueles enlatados, que só têm gosto de salmoura, e agora um pacote deles sempre figura no meu freezer. Adorei esta receita, mais apimentada do que estou acostumada, o que não foi nada ruim - com certeza um prato a ser repetido. Receita do Franny's.

8 corações de alcachofras pequenas, ou 4 grandes
¾ xícara azeite extra-virgem
8 dentes de alho, amassados
2 colheres (chá) sal
½ colher (chá) pimenta calabresa
½ xícara água
450g espaguete
½ xícara salsinha picada
3 colheres (sopa) parmesão ralado
1 colher (sopa) manteiga
¼ colher (chá) pimenta-do-reino
4 colheres (chá) queijo pecorino ralado

Corte as alcachofras no sentido do comprimento, fazendo fatias de 1cm. Numa frigideira aqueça o azeite, adicione as alcachofras, alho e sal e cozinhe até as alcachofras ficarem douradas e macias. Em seguida coloque a pimenta calabresa e cozinhe por 1min. Coloque um pouquinho de água e deixe ferver até as alcachofras ficarem bem macias*. Deverá restar um pouco de água na frigideira, desligue o fogo. Enquanto isso cozinhe o macarrão, deixando al dente. Coloque o macarrão na panela, espalhe a salsinha, parmesão, manteiga e pimenta, misture bem e cozinhe por mais 2 min, adicionando água, se necessário. Sirva nos pratos e coloque o queijo pecorino.
rende: 4 porções
*usei alcachofra congelada, e cozinhei conforme as instruções da embalagem, cozinhando em água com um pouquinho de suco de limão ou vinagre. Cozinhei assim até a metade do tempo recomendado e adicionei à frigideira já fatiadas.